Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Otan se desculpa pela morte de civis no Afeganistão

Investigação é aberta para apurar bombardeios que mataram 14 civis no sábado, na província de Helmand, e 18 na quinta-feira, no Nuristão

Por Da Redação 30 Maio 2011, 03h46

A Otan se desculpou nesta segunda-feira pela morte de civis em um bombardeio aéreo no sábado na província de Helmand, no sul do Afeganistão. “Em nome da coalizão ofereço nossas sinceras desculpas aos familiares e amigos dos mortos”, escreve John Toolan, comandante-em-chefe da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), a missão da Otan no Afeganistão.

O comunicado pede desculpas pela morte de 9 civis, mas autoridades afegãs afirmam que no incidente morreram 14.

Segundo o relato das forças da Isaf, uma patrulha da coalizão foi atacada por cinco insurgentes no distrito de Nawzad, na província de Helmand. Um soldado americano morreu. “Posteriormente, os cinco insurgentes continuaram atacando de uma casa próxima, e por isso as tropas da Otan solicitaram ajuda área”, indica o relatório. “Infelizmente, após o ataque se descobriu que o lugar onde os insurgentes estavam entrincheirados era na realidade a casa de civis inocentes”, diz o comunicado.

A Otan confirmou neste domingo ter aberto a investigação para apurar o ataque de sábado e outro realizado na quinta-feira, na província oriental do Nuristão, que matou 85 rebeldes, 20 policiais e 18 civis.

As mortes de civis são um dos principais pontos de atrito entre o governo afegão e as tropas internacionais, cerca de 150.000 soldados. Em 2010, 2.777 civis morreram vítimas da violência, segundo dados da missão das Nações Unidas.

As organizações de direitos humanos atribuem aos talibãs a maioria das mortes, mas as autoridades afegãs, com o presidente Hamid Karzai à frente, consideram ao mesmo tempo “inaceitáveis” as vítimas civis em bombardeios da Isaf.

(com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade