Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Otan avança em ofensiva no Afeganistão

As autoridades militares da Otan manifestaram satisfação neste domingo, segundo dia da megaofensiva contra Marjah, reduto talibã no sul do Afeganistão, no qual os insurgentes oferecem pouca resistência, recorrendo principalmente a minas espalhadas nas estradas e aos francoatiradores.

Vinte talibãs morreram em combates esporádicos no início da operação Mushtarak (que significa “Juntos”), enquanto que as forças internacionais sofreram duas baixas, um militar britânico e outro norte-americano, ambos vítimas de explosões de bombas artesanais. No total, a Otan anunciou a morte de cinco soldados estrangeiros no sábado, três deles americanos no sul do Afeganistão.

Cerca de 15.000 soldados das forças afegãs e internacionais, lideradas pelos americanos, realizaram a ofensiva, a maior das forças internacionais desde o anúncio do envio, em 2010, de um reforço de 30.000 soldados feito pelo presidente Barack Obama em dezembro passado, com o objetivo de inverter o curso da guerra no momento em que se intensifica a insurreição dos talibãs.

Operação – A operação Mushatarak começou antes da madrugada de sábado, quando 60 helicópteros enviaram soldados da infantaria americana e tropas afegãs para a cidade de Marjah, no cinturão de cultivo de papoula da província de Helmand.

Segundo o general Gordon Messenger, porta-voz do exército britânico, o objetivo principal foi alcançado, ou seja, tomar o controle dos grandes centros de população e das principais instalações, como os postos da polícia em torno de Shah-e Anjir, no norte de Marjah. “Houve combates esporádicos, mas os talibãs parecem desorientados, desorganizados e não foram capazes de opor uma reação coerente”, acrescentou o general.

A insurreição dos talibãs se intensificou sensivelmente nos últimos dois anos, e deixou 520 mortos nas fileiras das forças internacionais em 2009, no balanço mais elevado em oito anos de guerra. Os insurgentes, aliados da Al-Qaeda, enviaram reforços nestas últimas semanas e encheram a região de artefatos explosivos artesanais (IED), considerados a principal ameaça para os soldados afegãos e internacionais.

EUA – O presidente Obama está recebendo inúmeros informes sobre o andamento da ofensiva das forças da Otan e conversará com seu assessor de Segurança Nacional, Jim Jones – que acaba de finalizar uma visita de cinco dias ao Afeganistão e Paquistão, quando se reuniu com comandantes militares afegãos, americanos e outros membros da força internacional (Isaf), informou o porta-voz Tommy Vietor.

Além disso, o secretário de Defesa Robert Gates pediu ao máximo comandante americano no Afeganistão, o general Stanley McChrystal, que mantenha o presidente Obama informado.

(Com agência France-Presse)