Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Oposição síria quer evitar ingerência militar

Por Da Redação 15 nov 2011, 06h24

Moscou, 15 nov (EFE).- O Conselho Nacional Sírio (CNS) quer evitar uma ingerência militar na Síria, declarou nesta terça-feira um de seus líderes, Burhan Galion, que chegou a Moscou para se reunir com as autoridades russas.

‘Estamos dispostos a colaborar com as autoridades que não assassinam o povo sírio para buscar uma solução pacífica à crise, com o fim de evitar uma ingerência militar’, disse Galion, citado por agências russas.

O líder manifestou otimismo em suas expectativas para a reunião com os representantes do Ministério das Relações Exteriores da Rússia e do Conselho da Federação (Câmara Alta do Parlamento russo).

O chanceler russo, Sergei Lavrov, indicou na véspera que seu país defende uma solução negociada para o conflito sírio, que já tirou a vida de pelo menos 3,5 mil pessoas, e para isso convidou o CNS, um dos grupos opositores mais críticos ao regime de Bashar Al Assad.

Anteriormente, o líder do CNS Abul Ahad Astifo apoiou a decisão da Liga Árabe de suspender a Síria como membro da organização, ao considerar que representaria um respaldo para suas aspirações.

Já Lavrov criticou a decisão nesta segunda-feira e acusou os países ocidentais de estarem estimulando o confronto entre os opositores e as autoridades sírias com o objetivo de derrubar o regime de Damasco.

No início de outubro, Rússia e China exerceram seu direito a veto no Conselho de Segurança da ONU para impedir que fosse aprovada a resolução de condenação à Síria pela repressão contra os manifestantes. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade