Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Oposição planeja tirar Nicolás Maduro do poder em 2016

A oposição venezuelana, que recentemente conquistou nas urnas a maioria na Assembleia Nacional, tentará elaborar uma estratégia para tirar o presidente Nicolás Maduro do poder até julho de 2016. Em artigo publicado nesta segunda-feira no jornal Nuevo País, Henry Ramos Allup, secretário-geral do partido Ação Democrática (AD), disse que coalizão opositora quer encontrar “solução constitucional, democrática, pacífica e eleitoral para a mudança do governo”.

“O primeiro passo que devemos dar é consolidar o compromisso da liderança opositora, de que Maduro deve sair antes de 2019”, quando termina seu mandato, afirmou Allup. O líder opositor detido Leopoldo López já havia comentado sobre a possibilidade na semana passada. “Não podemos esperar as eleições presidenciais do ano de 2019. A mudança política na Venezuela tem data e é o primeiro semestre de 2016”, escreveu López em uma conta no Twitter.

Leia também

Oposição venezuelana denuncia golpe do governo para barrar posse de deputados

Na cúpula do Mercosul, Macri pede libertação de presos políticos na Venezuela

Derrotado nas urnas, Maduro anuncia a criação de um “Parlamento paralelo”

No último dia 6 de dezembro, a oposição venezuelana conquistou a “supermaioria” – dois terços dos assentos – na Assembleia Nacional. A vitória histórica representa um revés para a hegemonia chavista após quase 17 anos no poder. Com a maioria absoluta no Parlamento, a coalizão oposicionista Mesa de Unidade Democrática (MUD) poderá promover uma reforma constitucional ou uma assembleia constituinte e até mesmo remover nomes do Judiciário e dos poderes públicos.

(Com agência ANSA)