Clique e assine com até 92% de desconto

Onze pessoas são encontradas mortas na Índia, e polícia suspeita de ritual

Os membros de uma mesma família foram encontrados pendurados no teto, com olhos vendados, mãos atadas e amordaçados

Por Da Redação 2 jul 2018, 12h33

Onze membros de uma mesma família foram encontrados mortos em Nova Délhi, na Índia, no que a polícia suspeita ter sido suicídio coletivo em ritual místico. A hipótese de assassinato foi descartada depois de serem encontrarem escritos que coincidem com a forma como os corpos foram encontrados.

As pessoas foram descobertas penduradas no teto, com os olhos vendados, amordaçadas e com os braços amarrados nas costas. A única exceção era uma idosa de 70 anos, encontrada no chão de um quarto ao lado.

O delegado de polícia do distrito norte da capital indiana, Vinit Kumar, afirmou que o caso foi tratado como assassinato, no início. Mas a investigação teve uma reviravolta quando foram encontradas “notas escritas à mão” na casa, com descrições que coincidem “com o modo como os corpos foram achados”.

“A maioria das notas indica que algo estava acontecendo, algo de uma natureza espiritual-mística”, afirmou o delegado, acrescentando que está sendo investigado quem pode ter redigido as notas nas quais estava descrito como deveriam ser vendados os olhos e atadas as mãos.

  • O agente esclareceu que a hipótese de roubo foi descartada porque a casa não foi saqueada e todos os artigos de valor estavam intactos, incluídos os telefones celulares e as joias.

    A família, composta por dois irmãos, suas esposas e filhos, além da idosa, morava no distrito de Burari há pelo menos 20 anos. Eles cuidavam de um negócio de móveis e uma loja de alimentos. Segundo a rede britânica BBC, os corpos foram encontrados por um vizinho, que foi à loja da família para comprar leite.

    “Quando entrei na loja, todas as portas estavam abertas, e os corpos de todas as pessoas estavam pendurados no teto com as mãos amarradas”, disse o vizinho Gurcharan Singh à BBC Hindi.

    A polícia agora aguarda o resultado das autópsias para determinar a causa exata das mortes.

    (Com EFE)

    Continua após a publicidade
    Publicidade