Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

ONU e Síria concordam em abrir 4 escritórios humanitários

Acordo não significa que ajuda dará certo, pois Assad descumpriu plano de paz

Por Da Redação 5 jun 2012, 11h44

As Nações Unidas chegaram a um acordo com o regime de Bashar Assad para abrir quatro escritórios em cidades sírias para coordenar a ação humanitária no país. Os gabinetes serão abertos nas cidades de Deraa, Dayr, Homs e Idlib, disseram fontes presentes ao Fórum Humanitário sobre a Síria.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março de 2011 para protestar contra o regime de Bashar Assad, no poder há 11 anos.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram mais de 9.400 pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

A data para que eles comecem a funcionar, no entanto, ainda não foi definida. A ONU espera, com os gabinetes, poder implementar um plano para atender mais de um milhão de civis sírios. O acordo foi alcançado pelo coordenador humanitário regional do Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários da ONU (OCHA), Radhouane Noucier, que será também o encarregado de estabelecer os escritórios. Contudo, fontes da ONU disseram que o acordo não significa que ele poderá ser aplicado, já que a Síria vem sistematicamente impedindo a implementação do plano de contingência da organização.

“Agora temos um acordo por escrito assinado pelo governo sírio. O que é preciso agora é ver se podemos implementá-lo. A prova virá nos próximos dias, eu não posso prever o que se passará”, afirmou em entrevista coletiva o diretor de operações da OCHA, John Ging. O anúncio foi feito nesta terça-feira pela vice-secretária-geral da ONU para Assuntos Humanitários, Valerie Amos, durante a terceira reunião do Fórum Humanitário sobre a Síria, realizada em Genebra.

ONGs – Os quatro novos escritórios da ONU deverão atuar de forma coordenada com o Crescente Vermelho Sírio. Além disso, Assad teria ‘permitido’ que mais ONGs locais colaborem com as agências das Nações Unidas. “Nos próximos dias, se colocará à prova a boa fé do governo sírio”, afirmou Ging, acrescentando que o acordo precisa ser implementado o mais rápido possível: ‘em dias, e não meses’.

Nos últimos meses, a ONU conseguiu levar alguma assistência humanitária ao interior do país, mas numa escala muito menor do que a necessária. “Há um buraco enorme entre o que se entrega e as necessidades”, disse Ging. “Precisamos de uma presença real e a longo prazo no terreno para aliviar o sofrimento de um milhão de pessoas”.

O Programa Alimentício Mundial (PAM) anunciou na reunião que está pronto para fornecer alimentos para 500.000 pessoas neste mês na Síria. No encontro também foi anunciado que o número de refugiados sírios que estão vivendo nos países vizinhos (Turquia, Líbano, Jordânia e Iraque) já supera 78.000 pessoas.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês