Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

ONU é burocrática e mal administrada, diz Trump

O presidente americano discursará na Assembleia- Geral da organização pela primeira vez

Por Da redação Atualizado em 18 set 2017, 20h09 - Publicado em 18 set 2017, 13h04

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou nesta segunda-feira a “burocracia” das Nações Unidas, em seu discurso de estreia na organização. “A ONU deve se concentrar mais nas pessoas e menos na burocracia” e buscar “resultados”, defendeu Trump, que lidera uma ofensiva para reformar a organização.

“A Organização das Nações Unidas foi fundada com metas verdadeiramente nobres”, disse. Mas “nos últimos anos não atingiu seu potencial por causa da burocracia e da má administração”, apontou o líder americano, que no passado chegou a afirmar que a organização funcionava como um “clube para que as pessoas se encontrassem, conversassem e passassem um bom tempo”.

Os Estados Unidos são o principal financiador da organização criada no final da II Guerra Mundial, mas Trump ameaça reduzir drasticamente esses fundos, o que para o secretário-geral da ONU, o português Antonio Guterres, criaria “um problema insolúvel” para a instituição.

“Nenhum Estado-membro deveria ser sobrecarregado desproporcionalmente com responsabilidade, militar ou financeira”, considerou Trump, sentado entre Guterres e a embaixadora americana Nikki Haley. Haley foi uma das principais responsáveis pelo corte de 600 milhões de dólares no orçamento das missões de paz da ONU este ano.

A embaixadora americana na ONU destacou na sexta-feira que mais de 120 países apoiam a declaração apresentada pelos Estados Unidos pedindo uma reforma da ONU, número que considera “milagroso” e que provaria o apoio para “um pacote maciço de reformas”.

Continua após a publicidade

França e Rússia reagiram friamente à iniciativa americana, preocupados com o fato de a principal potência mundial se concentrar mais em reduzir o orçamento do que em melhorar a eficiência da ONU.

Na terça-feira, Trump tomará a palavra na Assembleia-Geral anual da ONU, em frente ao famoso mármore verde, na presença de cerca de 130 líderes mundiais. As discussões devem ser dominadas pela escalada nuclear e balística da Coreia do Norte, o acordo nuclear com o Irã e a situação dos muçulmanos roingyas em Mianmar.

Todos os olhos estarão voltados ao imprevisível presidente dos Estados Unidos e como ele combinará sua política “Estados Unidos primeiro” com o multilateralismo defendido pela ONU.

(com AFP)

 

 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês