Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

ONU acolhe bem os indícios de atenuação das tensões EUA-Irã

Porta-voz das Nações Unidas diz que o mundo não pode pagar por "uma nova guerra" no Oriente Médio

Por Da Redação - 8 jan 2020, 17h35

As Nações Unidas declararam nesta quarta-feira, 8, receber bem qualquer indicação de que “os líderes [dos Estados Unidos e do Irã] estão recuando de um grande confronto”. O posicionamento ocorreu logo após um discurso do presidente americano, Donald Trump, em que o líder americano trocou a ameaça de retaliação militar a Teerã pela de “sanções econômicas poderosas”.

“Reconhecemos a declaração do presidente Trump”, disse o porta-voz das Nações Unidas, Stephane Dujarric. Em seu discurso, o líder americano afirmou estar “preparado para garantir a paz com qualquer país que a queira”.

Trump evitou subir ainda mais o tom de suas declarações contra o Irã e afirmou que o regime “está se acalmando”. Acrescentou que os Estados Unidos desejam prosperidade ao povo iraniano. “Ao povo e aos líderes do Irã: nós queremos que vocês tenham um grande futuro – um que vocês merecem, de prosperidade interna e harmonia com os países do mundo”, disse.

Segundo a emissora americana CNN, Dujarric também declarou que o mundo não pode pagar por “uma nova guerra” no Oriente Médio, e que é dever comum de todos evitá-la a qualquer custo. “Não devemos esquecer o terrível sofrimento humano causado pela guerra. Como sempre, as pessoas comuns pagam o preço mais alto”, acrescentou.

Publicidade

O discurso de Trump foi o primeiro movimento na direção de resfriar as tensões no Oriente Médio, que escalavam para um possível confronto armado desde o assassinato em Bagdá do general iraniano Qasem Soleimani pelas forças dos Estados Unidos, na sexta-feira 3.

Publicidade