Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Onda de calor no Pacífico causa terremoto de gelo no Alasca

Na terça-feira, temperaturas chegaram a 33,3°C em partes do Alasca, marcando o dia mais quente da onda histórica de calor

Por Da Redação 2 jul 2021, 16h55

A histórica onda de calor que atinge os Estados Unidos e o Canadá chegou ao Alasca e provocou um terremoto desencadeado pelo derretimento das geleiras. O “terremoto de gelo”, de magnitude 2,7 foi registrado a cerca de 40 quilômetros de Juneau na terça-feira, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos.

Segundo especialistas, é comum que as geleiras derretam nessa época do ano por causa do calor, e causem alagações, mas é raro que o excesso de água acumulada seja suficiente para gerar um abalo sísmico.

Temperaturas chegaram a 33,3°C em partes do Alasca na terça-feira, no que foi o dia mais quente da onda histórica de calor.

O “terremoto de gelo” ocorre na mesma semana em que centenas de pessoas morreram no Canadá por causa da onda de calor e cabos de aço derreteram nos Estados Unidos. Em Washington as temperaturas do solo chegaram até a 63°C.

Além disso, moradores da cidade de Lytton, a 260 quilômetros de Vancouver, na Colúmbia Britânica, Canadá, foram obrigados a fugir do local na última quarta-feira, devido à disseminação de incêndios florestais.

Batizado como “domo de calor”, o fenômeno já começou a perder força na região costeira, mas segue intenso no interior.

O sistema meteorológico está agora se movendo para o leste, atingindo as províncias canadenses de Alberta, Saskatchewan e Manitoba.

Segundo cientistas, as mudanças climáticas estão piorando a intensidade das ondas de calor que afetam a América do Norte.

Para o climatologista Zeke Hausfather, o calor sem precedentes é certamente uma consequência do efeito estufa.

Continua após a publicidade
Publicidade