Clique e assine a partir de 9,90/mês

Oficial do Exército dos EUA envolve Manning em incidente violento

Por Saul Loeb - 18 dez 2011, 19h44

Uma oficial do Exército dos Estados Unidos que esteve no Iraque junto com Bradley Manning, acusado de passar informações para o site WikiLeaks, disse neste domingo à Corte que pediu que o soldado fosse substituído por ter atacado um colega.

A capitã Casey Fulton, oficial de inteligência da décima Divisão de Montanha, enviada ao Iraque com Manning e primeira testemunha chamada a depor neste domingo, afirmou ainda ter ordenado que lhe tirassem a arma.

O incidente, acrescentou, aconteceu pouco antes de Manning ser preso, em maio de 2010.

O depoimento de Fulton ocorreu no terceiro dia do julgamento contra o ex-agente de inteligência, na base de Fort Meade, que tem como objetivo decidir se deve ser levado a um Conselho de Guerra formal.

Vestindo uniforme camuflado verde da 10ª Divisão de Montanha, Manning escutou com atenção as declarações de Fulton e fez anotações, ocasionalmente.

O soldado, que é acusado de ter entregue ao Wikileaks, entre novembro de 2009 e maio de 2010, 260.000 despachos diplomáticos americanos relativos às guerras no Iraque e no Afeganistão, responde a 22 acusações e pode ser condenado à prisão perpétua.

Continua após a publicidade
Publicidade