Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Observadores permanecerão na Síria, afirma autoridade da ONU

Por Bassem Tellawi - 19 jun 2012, 20h27

As Nações Unidas manterão seus observadores desarmados na Síria, apesar do aumento da violência que levou à suspensão de suas patrulhas, declarou nesta terça-feira o chefe das operações de manutenção da paz da ONU, Hervé Ladsous.

A ONU decidiu “não tocar, nem modificar, mas, acima de tudo, manter a integridade” da missão da ONU na Síria, declarou Ladsous à imprensa. Um exame será realizado para indicar se mudanças podem ser realizadas na missão, acrescentou.

O chefe da missão das Nações Unidas na Síria, general Robert Mood, havia explicado antes ao Conselho de Segurança que os observadores estão “moralmente obrigados” a permanecer na Síria, segundo fontes diplomáticas que participaram da reunião.

“Permaneço comprometido com a missão na posição em que nos encontramos atualmente -não iremos a lugar algum- para retomar, para voltar às atividades normais e à execução da implementação normal das tarefas” da missão de observadores, disse Mood à imprensa.

Publicidade

O Conselho de Segurança da ONU se reuniu para debater o futuro da missão depois de esta ter sido suspensa no sábado passado devido ao aumento das hostilidades.

Publicidade