Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Obama se reúne com opositores em Cuba e exalta sua valentia

“É preciso ter muita valentia para fazer ativismo em Cuba", afirmou o presidente dos Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se reuniu com um grupo de dissidentes cubanos e representantes da sociedade civil nesta terça-feira na sede da embaixada americana em Havana. “Quero agradecer a todos os que vieram aqui. Com frequência é preciso ter muita valentia para fazer ativismo em Cuba”, disse Obama. “Este é um tema que seguimos tendo muitas divergências com o governo de Cuba”, acrescentou o presidente. O encontro contou com a presença de uma dúzia de dissidentes, incluindo Berta Soler, das Damas de Branco, Elisardo Sánchez, da Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional, e Guillermo Fariñas, Prêmio Sakharov 2010 para os Direitos Humanos.

“Há pessoas aqui que estiveram detidas, algumas no passado, outras muito recentemente”, comentou Obama, que já havia se reunido com alguns dos presentes nos Estados Unidos e no Panamá, durante a Cúpula das Américas do ano passado. “Parte de nossa política em relação a Cuba é que não podemos nos reunir apenas com o presidente Castro ou ter relações apenas de governo a governo. Temos que poder escutar diretamente o povo cubano e garantir que tenha uma voz”, ressaltou o americano.

Leia mais:

Obama pede liberdades civis e cobra fim do embargo a Cuba

Trump diz que poderia abrir hotel em Cuba e que vê potencial na ilha

Obama fala a empresários em Havana

No domingo, pouco antes da chegada de Obama a Havana, dezenas de dissidentes foram detidos por várias horas após uma manifestação contra o governo comunista. Posteriormente, o presidente Raúl Castro negou em uma coletiva de imprensa que existam presos políticos em Cuba, ao desafiar um jornalista a mostrar uma lista com o nome de todos os prisioneiros.

A visita de Obama à ilha, a primeira de um presidente americano desde 1928, ocorre 15 meses após a normalização das relações entre os dois países. Sua passagem por Cuba será encerrada com um jogo de beisebol. Ele e sua família, que o acompanha na viagem, se juntaram a Raúl Castro para assistir a uma partida de exibição entre o time americano Tampa Bay Rays e a seleção cubana. Depois, Obama e família partem para uma visita de dois dias à Argentina.

(Com agência France-Presse)