Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Obama promete ser implacável com terror e… vai jogar golfe

Imediatamente depois de pronunciamento condenando a brutal execução de jornalista americano e prometendo combater o Estado Islâmico, presidente americano retomou suas férias, para incredulidade dos críticos

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 21h51 - Publicado em 22 ago 2014, 16h10

Depois de telefonar para os pais de James Foley e fazer um breve pronunciamento condenando o brutal assassinato do jornalista americano pelo Estado Islâmico e prometendo ser “implacável” com seus algozes, Barack Obama foi… jogar golfe. O presidente falou sobre a decapitação do jornalista em Martha’s Vineyard, no Estado de Massachusetts, onde aproveita sua segunda semana de férias. Para republicanos e até alguns democratas, Obama demonstrou indiferença à selvageria que havia acabado de condenar, como aponta uma reportagem publicada pelo jornal The New York Times nesta sexta-feira.

“Como regra geral, eu acho que ele está certo. Você não pode ser refém das notícias – um homem merece um pouco de sossego. Mas, nesse caso em particular, eu acho que vários democratas ficaram um pouco perplexos”, disse Jim Manley, um estrategista democrata de longa data. O vídeo que os terroristas divulgaram mostrando a decapitação de Foley, acrescentou Manley, é “tão chocante que a ideia de que Obama estava dirigindo-se imediatamente para o campo de golfe é um pouco demais”.

Leia também:

Terroristas exigiram US$ 132 mi para libertar jornalista decapitado

EUA falharam em tentativa de libertar jornalista americano

Em comparação – desfavorável – a Obama, os críticos lembraram que o primeiro-ministro britânico David Cameron cancelou suas férias depois da divulgação do vídeo unicamente porque o carrasco do jornalista tinha sotaque britânico. À Fox News, o ex-vice-presidente Dick Cheney disse que o presidente “preferiria estar em um campo de golfe do que lidando com a crise”.

E mais golfe – Na última semana, ao responder a questões sobre as férias de Obama em meio a várias crises, o porta-voz da Casa Branca Eric Schultz disse que “nunca há um momento perfeito para o presidente tirar algum tempo para ficar com a família”. A reportagem do NYT observa que o presidente “há muito tempo parou de se preocupar com o que os críticos dizem” e desafiou seus críticos ao voltar a jogar golfe novamente na quinta-feira, pela oitava vez em onze dias na ilha.

Em 2002, o então presidente George W. Bush interrompeu uma partida de golfe por causa de um atentado em Israel. Na sequência, agradeceu aos jornalistas e acrescentou: “agora olhem essa tacada”. Mais tarde o republicano concluiu que cenas desse tipo transmitiam uma mensagem ruim e acabou desistindo de jogar golfe pelo resto de seu mandato.

Continua após a publicidade
Publicidade