Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Obama manifesta apoio à suspensão da Síria na Liga Árabe

Por Da Redação 12 nov 2011, 16h53

Washington, 12 nov (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, manifestou neste sábado seu apoio à decisão tomada pela Liga Árabe de suspender a Síria da organização, pedir sanções econômicas ao país e reduzir suas relações diplomáticas com o governo de Damasco.

‘Depois que o regime de (Bashar) Al Assad fracassou, chegou a hora de cumprir seus compromissos. A Liga Árabe demonstrou liderança em seu esforço para acabar com a crise e garantir que o governo sírio se responsabilize por seus atos’, disse Obama em comunicado divulgado pela Casa Branca.

Os protestos em várias cidades da Síria eclodiram em março, exigindo reformas democráticas. Desde então, os mannifestantes vêm sendo duramente reprimidos pelas forças de segurança.

A resolução tomada neste sábado pela organização pan-árabe ‘expõe o crescente isolamento diplomático de um regime que violou sistematicamente os direitos humanos e reprimiu protestos pacíficos’, disse o líder americano.

‘Os Estados Unidos se unem à Liga Árabe em seu apoio ao povo sírio, que segue batalhando por seus direitos universais frente à cruel violência do regime’, acrescentou Obama, que está no Havaí presidindo a cúpula do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec).

Continua após a publicidade

Esta decisão foi tomada durante uma reunião extraordinária no Cairo pelos ministros de Relações Exteriores árabes, e obteve o respaldo de 18 dos 22 membros da Liga Árabe, com o voto contra de Líbano e Iêmen e a abstenção do Iraque.

O texto aprovado, que será aplicado a partir do dia 16 de novembro caso Damasco não cumpra os requisitos do plano árabe de cessar a violência no país, pede que os integrantes da Liga estabeleçam sanções econômicas à Síria, e prevê que seja outorgada proteção aos civis, em coordenação com organizações de direitos humanos e a ONU.

Além disso, os ministros concordaram com a retirada dos embaixadores dos países árabes da Síria, embora essa medida dependa da decisão soberana de cada governo nacional.

A resposta do regime sírio não demorou, e o delegado permanente da Síria na Liga Árabe, Youssef Ahmed, afirmou no Cairo que a resolução é ‘nula’, já que segundo o estatuto da organização, deveria ter contado com o apoio de todos os Estados-membros.

Embora a resolução incite a esperança dos opositores, a Síria segue imersa em uma espiral de violência, que neste sábado teve saldo de 10 civis e nove membros das forças de segurança mortos. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade