Clique e assine com até 92% de desconto

Obama e Maduro têm breve encontro no Panamá

Segundo venezuelano, conversa foi "séria", "franca" e "até cordial"

Por Da Redação 12 abr 2015, 09h58

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e o da Venezuela, Nicolás Maduro, se reuniram no sábado, em paralelo a Cúpula das Américas, na Cidade do Panamá. Maduro afirmou à emissora Telesur que o encontro com Obama durou cerca de dez minutos e que a conversa foi “séria”, “franca” e “até cordial”.

Leia também:

‘Com o tempo, podemos virar a página’, diz Obama a Raúl Castro

Obama: EUA ‘não serão prisioneiros do passado’ com Cuba

Venezuela bloqueia consenso e cúpula fica sem declaração final

Continua após a publicidade

“Eu disse a ele que não somos um inimigo dos Estados Unidos”, declarou Maduro. “Falamos a verdade um ao outro.” Sem detalhar os pontos discutidos, Maduro disse que ele e Obama poderão engatar uma série de conversas e “abrir relações de respeito”.

Obama não mencionou o encontro em seus comentários ao final da Cúpula, mas um funcionário da Casa Branca, que falou sob condição de anonimato, confirmou a reunião com Maduro.

A reunião ocorre depois de a administração Obama declarar que a crise econômica e política na Venezuela representa uma ameaça à segurança dos Estados Unidos. Foram congelados os bens nos Estados Unidos de sete autoridades venezuelanas acusadas de abuso contra os direitos humanos durante protestos no ano passado.

Cuba – Também no sábado, em encontro histórico, o presidente americano se reuniu com o cubano Raúl Castro. Foi a primeira vez que os chefes dos dois países, Cuba e Estados Unidos, se reuniram em mais de cinquenta anos. Obama afirmou que seu país “não será prisioneiro do passado” em sua relação com Cuba nem com a região. Disse também que a aproximação entre EUA e Cuba marca um “ponto de inflexão” para toda a região e qualificou a cúpula.

(Com Estadão Conteúdo e EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade