Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Obama diz que ataque da Otan não foi deliberado ao Paquistão

Por Da Redação 4 dez 2011, 17h02

Washington, 4 dez (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se reuniu neste domingo com o líder do Paquistão, Asif Ali Zardari, para afirmar que o bombardeio da Otan no último fim de semana ‘não foi um ataque deliberado contra o Paquistão’.

Obama falou com Zardari neste domingo para expressar ‘pessoalmente’ suas condolências pela ‘trágica perda’ dos 24 soldados no ataque efetuado entre a fronteira do Afeganistão e Paquistão, informou a Casa Branca em comunicado.

O presidente americano enfatizou que ‘este lamentável incidente não foi um ataque deliberado contra o Paquistão e reiterou o forte compromisso dos EUA de iniciar uma investigação para apurar o ocorrido’. Segundo a Casa Branca, os dois presidentes reafirmaram o compromisso de manter uma relação bilateral.

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, também ligou para o primeiro-ministro do Paquistão, Yousef Raza Gilani, para reiterar as condolências de seu Governo por este ‘trágico’ e ‘involuntário’ acidente, ressaltando o ‘respeito dos Estados Unidos pela soberania do Paquistão’.

No último dia 26 de novembro, 24 soldados paquistaneses morreram perto da fronteira com o Afeganistão após um ataque aéreo da Otan,. Anteriormente, Islamabad fez duras críticas à operação secreta realizada em seu território que acabou com a morte de Osama Bin Landen, em maio.

Nesta semana, em declarações à rede ‘CNN’, Gilani descartou que a relação com os EUA volte a ser ‘como era antes’ depois do ataque. Porém, o presidente do Paquistão cobra explicações da Otan, que bombardearam dois postos do Exército paquistanês na fronteira com o Afeganistão por engano. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade