Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Obama apresenta orçamento para 2013 com mais economia e aumento de impostos

Por Da Redação 13 fev 2012, 15h05

Washington, 13 fev (EFE).- O presidente americano, Barack Obama, apresentou nesta segunda-feira seu plano orçamentário para 2013 no valor de mais de US$ 3 trilhões, com um aumento da economia e dos imposto para reduzir o déficit de 8,5% para 5,5% do Produto Interno Bruto (PIB).

O presidente americano afirmou no Colégio Universitário do Norte da Virgínia que a economia americana deve concentrar-se em desenvolver o setor manufatureiro, nas energias renováveis e em oferecer uma educação acessível para formar trabalhadores qualificados.

Obama, que tentará a reeleição em novembro deste ano, lembrou que o orçamento apresentado hoje contempla uma redução de déficit de US$ 4 trilhões até 2022, e por isso tomaram ‘decisões duras, mas absolutamente necessárias’.

Sobre um orçamento que prevê um crescimento do PIB de 2,7% para este ano, o líder destacou que não se podem repetir os erros que levaram à crise econômica e graças a qual ‘poucos estão bem, enquanto muitos tem dificuldade para avançar’

‘Elaboramos este orçamento em torno da ideia que nosso país foi melhor quando todos realizaram uma contribuição justa’, declarou Obama, ressaltando que os fundamentos do passado levaram a um aumento da diferença entre ricos e pobres.

Continua após a publicidade

Graças a economias como no orçamento da Defesa (US$ 850 bilhões) e o aumento dos impostos, o Governo americano quer dispor de US$ 800 bilhões para favorecer a criação de empregos e realizar investimentos em obras públicas.

Perante uma audiência de universitários, Obama disse que o orçamento também contempla uma redução dos juros nos empréstimos universitários e lembrou que tudo dependerá de o Congresso aprová-lo ‘sem atrasos e rixas ideológicas’ como no passado.

As contas de Obama contemplam uma despesa total em 2013 de US$ 3,8 milhões, com um aumento dos impostos às receitas mais altas e o fim dos cortes fiscais aprovados durante a administração de George W. Bush às entradas anuais superiores a US$ 250 mil.

O Governo americano espera fechar 2012 com um déficit de US$ 1,3 trilhão, equivalente a 8,5% do PIB, e conseguir chegar a 2013 com um déficit de US$ 901 bilhões (5,5% do PIB).

Tudo isso com a vista posta no horizonte de 2022, para o qual a administração Obama prevê um déficit de US$ 704 bilhões (2,8% do PIB), com a intenção de frear o aumento de uma dívida pública prestes a superar US$ 16 trilhões. EFE

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês