Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Número de mortos por coronavírus passa de 1.100 após novos casos em Hubei

Em toda a China, são mais de 44 mil pessoas infectadas pela doença, batizada pela OMS de COVID-19; casos em cruzeiro no Japão sobem

Por Da Redação Atualizado em 12 fev 2020, 03h36 - Publicado em 12 fev 2020, 03h33

O novo coronavírus causou a morte de 1.113 pessoas em todo o mundo, sendo a maioria na China, com 97 novos óbitos reportados nesta quarta-feira (noite de terça, 11, no Brasil) pela Comissão Nacional de Saúde do país.

Em seu boletim diário, a comissão divulgou cerca de 2.000 novos casos de contágio, sendo que 1.638 foram diagnosticados na província de Hubei, onde a doença surgiu em dezembro passado. Em todo país, o número total de pessoas infectadas chega 44.741.

Nesta terça, a Organização Mundial da Saúde (OMS) avaliou que existe “uma possibilidade realista de parar” a propagação do coronavírus se forem feitos investimentos de forma coordenada.

“Se investirmos agora (…), temos uma possibilidade realista de parar esta epidemia”, destacou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em coletiva de imprensa em Genebra, Suíça.

  •  

     

    Quatrocentos cientistas de todo o mundo começaram na terça-feira uma reunião de dois dias de duração nesta cidade suíça sob os auspícios da OMS, com o objetivo de intensificar a luta contra esta nova doença.

    O novo coronavírus passou a ser identificado como COVID-19 para que seja “fácil de pronunciar”, sem ser uma referência “estigmatizante” para um país ou população em particular, explicou Ghebreyesus.

    O diretor-geral da OMS explicou que “co” significa “corona”; “vi”, “vírus” e “d”, uma “doença”. O número 19 faz alusão ao ano em que apareceu, 2019.

    Casos em navio no Japão sobem

    Mais 39 passageiros que estão a bordo do navio de cruzeiro Diamond Princess, atracado num porto no Japão, foram diagnosticados com o novo coronavírus, informou nesta quarta-feira (noite de terça, 11, no Brasil), o ministro da Saúde japonês, Katsunobu Kato.

    Continua após a publicidade

    Agora, o total de infectados é de 174, entre os cerca de 3.700 passageiros e tripulantes que estão na embarcação que chegou na segunda-feira da semana passada ao porto de Yokohama, ao sudoeste de Tóquio.

    “Dos 53 novos resultados de testes, 39 pessoas foram consideradas positivas”, disse o ministro à imprensa, acrescentando que um membro da equipe de quarentena também havia sido infectado pelo vírus.

    “Nesse momento, confirmamos que quatro pessoas, que estão entre as hospitalizadas, estão em estado grave”, acrescentou Kato.

    O Diamond Princess está em quarentena desde que chegou à costa japonesa, após o vírus ser detectado em um passageiro que desceu do navio no mês passado em Hong Kong.

    Quando o barco chegou ao Japão, as autoridades examinaram inicialmente cerca de 300 das 3.711 pessoas a bordo, levando em seguida para hospitais da região aquelas portadoras do vírus.

    Nos últimos dias, os exames passaram a ser realizados naqueles com novos sintomas ou que tiveram contato próximo com outros passageiros ou tripulantes infectados.

    Os que permanecem no navio foram orientados a permanecer dentro de suas cabines, com permissão apenas para circular brevemente nas áreas abertas, utilizando máscaras de proteção e mantendo distância de outras pessoas.

    Além disso, passageiros e tripulantes receberam termômetros para monitorar a temperatura do corpo.

    A previsão é que a embarcação siga em quarentena até o dia 19 de fevereiro, 14 dias após o início do período de isolamento.

    (com AFP)

    Continua após a publicidade
    Publicidade