Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Número de mortos em incêndio criminoso no Japão sobe para 33

Suspeito de ter iniciado o fogo foi preso e está internado; edifício abrigava estúdio de animações

O número de mortos deixados por um incêndio criminoso em um estúdio de animação na cidade de Quioto, no Japão, subiu para 33 nesta quinta-feira, 18, segundo o Corpo de Bombeiros. Este é pior ataque ocorrido no país em quase duas décadas.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, classificou o incêndio como “assombroso demais para as palavras”, e expressou condolências pelas vítimas. O premiê confirmou se tratar de um incêndio criminoso.

A polícia prendeu um homem de 41 anos que acreditam ser o responsável pelo fogo. Segundo testemunhas, ele gritou “morram” enquanto espalhava o que parecia ser gasolina ao redor do edifício de três andares da empresa de animações Kyoto Animation.

O suspeito está ferido e sendo tratado em um hospital, por isso a polícia ainda não conseguiu interrogá-lo. Os agentes também encontraram facas deixadas pelo homem no prédio, segundo a imprensa japonesa.

O ataque deixou ao menos 33 mortos e 36 feridos, 10 delas em condições graves, segundo uma autoridade do Corpo de Bombeiros de Quioto. As operações de resgate no prédio continuam.

Parte das vítimas foi encontrada no interior do prédio, algumas no terceiro andar e outras em uma escadaria que leva ao telhado. Por volta de 70 pessoas estavam no local quando o fogo começou.

A Kyoto Animation, conhecida como KyoAni, produz principalmente animações baseadas em mangás e light novels. Um de seus filmes mais famosos, A Voz do Silêncio: Koe no Katachi, está disponível na Netflix no Brasil.

Ainda não está claro se o suspeito de ter iniciado o incêndio tem alguma relação com o estúdio. Alguns veículos da imprensa japonesa disseram que o homem não é ex-funcionário da KyoAni, mas testemunhas relataram que ele parecia estar com raiva do estúdio.

O jornal Asahi Shimbun afirmou que uma vizinha do edifício, de 61 anos, ouviu claramente o homem gritar: “Você me enganou”.

“Ouvi o som dos caminhões dos bombeiros e saí de casa, e vi grandes chamas brotando do edifício”, disse um menino de 16 anos à NHK. “Agentes do Corpo de Bombeiros estavam tentando resgatar os feridos em um parque próximo, mas parece que não eram suficientes”, acrescentou.

Os crimes violentos são relativamente raros no Japão, mas incidentes graves ocasionais chocaram o país. O caso desta quinta-feira é o pior incidente de violência no Japão desde um suposto incêndio criminoso em um prédio de Tóquio em 2001.

(Com Reuters)