Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Número de mortos em explosão no México sobe para 25

Acidente na sede da companhia de petróleo Pemex deixou mais de cem feridos

Por Da Redação - 1 fev 2013, 01h41

O governo mexicano atualizou para 25 o número de mortos na explosão que atingiu a sede da gigante petrolífera Pemex, na Cidade do México, nesta quinta-feira. O novo número foi divulgado em uma entrevista coletiva do secretário de Governo, Miguel Ángel Osorio Chong, que detalhou que a explosão vitimou 17 mulheres e 8 homens. Além disso, outras 101 pessoas ficaram feridas.

Na coletiva, Osorio evitou especular sobre as causas da explosão e afirmou que as autoridades vão aguardar os resultados da perícia técnica. Questionado pelos jornalistas sobre a hipótese de um atentado, o secretário apelou para a cautela: “Seria uma grande irresponsabilidade, sem os elementos completos, suficientes, divulgar uma informação que não temos”.

Em seu Twitter, a Pemex informou que a explosão atingiu o térreo e a recepção do prédio de escritórios. Destroços de concreto e estilhaços de vidro cobriam a avenida em frente à construção, enquanto bombeiros e paramédicos trabalhavam no local, apoiados por helicópteros e ambulâncias. No momento, equipes de resgate vasculham os escombros em busca de sobreviventes.

Causas – Apesar das causas do acidente ainda estarem sob investigação, a imprensa mexicana apontou problemas no sistema elétrico do prédio ou um acumulo de gás na subestação que abastecia a torre como possíveis causadores da explosão. O presidente Enrique Peña Nieto, que acompanha no local os trabalhos de resgate, criticou qualquer conclusão precipitada e pediu o fim das especulações. “Vamos esperar as perícias correspondentes para não cair em especulações sobre eventuais razões”, afirmou.

Publicidade

A explosão ocorreu por volta das 16h (20h no horário de Brasília), no momento em que a maioria dos 10.000 funcionários da empresa se preparava para terminar o expediente. Logo após o estrondo, uma nuvem de fumaça cobriu a torre de 54 andares – uma das mais altas da América Latina – e um prédio vizinho, de 13 andares.

“Tinha acabado de sair do prédio, ia à farmácia quando os vidros estilhaçaram, foi um som abafado. O chão tremeu, como se fosse um terremoto. Voltei e vi toda a parte de baixo do edifício destruída”, disse à agência France-Presse Astrid Garcia Treviño, que trabalha no complexo. “O lugar balançou, perdemos a eletricidade e de repente havia destroços por toda parte. Colegas nos ajudaram a sair do prédio”, afirmou outra testemunha, citada pela rede BBC.

Histórico – Esta não é a primeira vez que a Pemex, a maior empresa mexicana e uma das dez maiores companhias de petróleo do mundo, registra acidentes fatais nos últimos anos. Em setembro passado um incêndio em uma reserva de gás perto de Reynosa (nordeste do México) provocou a morte de pelo menos trinta pessoas e deixou 25 feridos, no mais grave acidente ocorrido nas instalações da petroleira. Em dezembro de 2010, 29 pessoas morreram no incêndio de um oleoduto no centro do país.

(Com agências France-Presse e EFE)

Publicidade