Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Número de mortos em ataque no Líbano sobe para 24

As autoridades acreditam que um terrorista suicida pode ter conduzido o carro-bomba que explodiu em um reduto do Hezbollah na capital Beirute

Por Da Redação 16 ago 2013, 09h21

O número de mortos na explosão de um carro-bomba em um reduto do grupo terrorista Hezbollah em Beirute, no Líbano, subiu para 24 nesta sexta-feira. O atentado também deixou outras 335 pessoas feridas nos subúrbios localizados ao sul da capital. Segundo o Exército, unidades especiais foram enviadas para cercar a área da explosão e averiguar os motivos do ataque.

Leia também:

Violência da Síria respinga no Líbano e deixa dois mortos

Líbano adia eleições parlamentares por causa de crise síria

O ministro do Interior Marwan Charbel afirmou que os investigadores estão checando as imagens de câmeras de segurança para apurar se o carro-bomba era dirigido por um terrorista ou controlado remotamente. “A primeira hipótese é de que o motorista se explodiu junto com o carro, enquanto a segunda diz que o carro poderia ser controlado à distância”, disse Charbel, segundo uma agência de notícias libanesa.

Continua após a publicidade

Em um vídeo divulgado na internet pouco depois do ataque, três homens mascarados e segurando armas dizem fazer parte do grupo responsável pelo atentado. Eles estão ao lado de um sinal árabe contendo o credo islâmico: “Não há Deus a não ser Alá e Maomé é o mensageiro de Alá”, informou a rede americana CNN. O grupo, que se identificou como Brigada de Aisha, Mãe dos Crentes, acusou os membros do Hezbollah de serem agressores. Aisha foi mulher de Maomé, o profeta do Islã.

Caio Blinder: O Líbano poderá ser amanhã a Síria de hoje

Mortos – Aos poucos o governo libanês vai confirmando a identidade das vítimas para facilitar a organização dos funerais. Entre os mortos está uma família de cinco pessoas – pai, mãe e três filhas – que foi atingida pela explosão. Além de danificar carros que estavam ao redor, o ataque também atingiu casas próximas a um complexo usado por membros do Hezbollah como moradia. Relatos dão conta que pessoas ficaram presas em construções destruídas pela explosão.

O grupo islâmico xiita Hezbollah é um braço armado do governo iraniano no Líbano e está ajudando o ditador Bashar Assad a combater os rebeldes – de maioria sunita – na Síria. A guerra civil síria tem agravado as tensões sectárias no Líbano. Relatos de confrontos entre xiitas apoiadores do ditador Assad e sunitas, que respaldam as ações dos grupos rebeldes, se tornaram frequentes nos últimos dois anos. O ataque desta quinta-feira ocorre cerca de um mês após a explosão de um carro-bomba deixar 53 feridos na mesma vizinhança.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)