Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Número de mortos deixados por explosões em Cabul passa de 100

As forças de segurança americanas estão em alerta para a possibilidade de mais ataques nesta sexta-feira, 27

Por Julia Braun 27 ago 2021, 09h19

Pelo menos 110 pessoas morreram em decorrência das explosões que atingiram os arredores do aeroporto de Cabul, no Afeganistão, na quinta-feira 26, entre elas 13 militares americanos. As forças de segurança americanas estão em alerta para a possibilidade de mais ataques nesta sexta-feira, 27.

As duas detonações que atingiram os arredores do terminal aconteceram em meio ao processo de retirada de tropas estrangeiras e civis do Afeganistão, após a tomada do poder no país pelo Talibã. Os Estados Unidos, o Reino Unido e outros governos correm para transportar seus cidadãos antes de 31 de agosto. Afegãos que auxiliaram os americanos na ocupação também estão sendo evacuados.

O incidente ainda está sendo investigado, mas as primeiras informações apontam que dois homens-bomba e homens armados atacaram afegãos que se aglomeravam em um dos portões do aeroporto, na tentativa de sair do país, e também soldados americanos que faziam a triagem para os voos de evacuação. O grupo terrorista Estado Islâmico-Khorosan assumiu a autoria do ataque.

Segundo a rede de televisão Al Jazeera, o número de mortos chegou a 110 nesta sexta-feira, 27. Apesar do risco de novos ataques, os voos de evacuação voltaram ainda na quinta-feira e continuam nesta sexta.

O presidente dos EUA, Joe Biden, disse que não vai perdoar o ataque e vai caçar os responsáveis. “Não vamos perdoar. Não vamos esquecer. Vamos caçá-los para fazer vocês pagarem”, afirmou Biden, ressaltando que “esses terroristas do Estado Islâmico não vão ganhar”.

O Estado Islâmico-Khorosan é o braço afegão do EI criado em 2014 e é considerado inimigo do grupo fundamentalista que tomou o poder no Afeganistão no último dia 15.

Continua após a publicidade
Publicidade