Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Número de mortos após tempestade se aproxima de 1.000

Balanço oficial aponta 927 mortos, mas ainda há ao menos 500 desaparecidos

O número de mortos na violenta tempestade que atingiu o sudeste das Filipinas no último sábado chegou a 927, informou o conselho de monitoração de desastres do governo local. Novos corpos foram resgatados nas cidades portuários de Cagayan de Oro e Iligan, na ilha de Mindanao, área mais afetada pela tragédia. A expectativa, porém, é que a contagem ultrapasse os mil corpos, pois ainda há pelo menos 500 desaparecidos.

Durante todo o dia foram realizados enterros coletivos, mesmo sem a identificação dos corpos. Segundo servidores públicos encarregados da tarefa, os sacos contendo os cadáveres foram sinalizados com as características físicas da vítima, para uma possível exumação no futuro. Dirigentes locais de Cagayan de Oro e Iligan, onde famílias inteiras foram arrastadas enquanto dormiam em bairros pobres junto ao litoral, disseram que os corpos não reclamados nos necrotérios e hospitais representam um risco para a saúde.

A tempestade Washi afetou cerca de 167.000 pessoas, segundo o governo filipino. Quase 88.000 estão em centros de abrigo. Aldeias inteiras foram varridas pelas águas, enquanto estradas e pontes foram destruídas, segundo testemunhas. Além de Mindanao, a tempestade também deixou estragos na pequena ilha de Negros. Na madrugada deste domingo, chegou à ilha de Palawan, no Mar da China Meridional, no oeste do país.

O governo e a Cruz Vermelha das Filipinas lançaram chamados de ajuda para alimentar os refugiadas. As autoridades compararam a tempestade Washi com o tufão Ketsana, um dos mais mortíferos dos últimos anos, que inundou grande parte de Manila em 2009, causando a morte de 464 habitantes. O Exército mobilizou cerca de 20.000 soldados, que continuam a procurar cadáveres enterrados sob montanhas de lama.

(Com agência France-Presse)