Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Número de casos de Covid-19 reportados em apenas um dia à OMS bate recorde

Entidade registrou mais de 150 mil casos nesta quinta-feira; Técnicos alertam para risco de segunda onda da doença em países que relaxaram isolamento social

Por Ricardo Ferraz Atualizado em 19 jun 2020, 18h03 - Publicado em 19 jun 2020, 16h00

Enquanto muitos países implantam planos para colocar fim à quarentena e a retomar as atividades econômicas, a Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou nesta sexta-feira, 19, que registrou um número recorde de notificações de casos de Covid-19, em um único dia.

Na quinta-feira, o órgão recebeu a notificação de mais de 150 mil casos, informou, na tarde de hoje, o diretor geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em entrevista coletiva, na sede da OMS, em Genebra, na Suíça. “Quase metade desses casos foram reportado nas Américas, com grande número deles sendo reportados também do Sul da Ásia e do Oriente Médio”, declarou. 

Segundo levantamento dos casos de coronavírus no mundo, feito pela Johns Hopkins University, em tempo real, Estados Unidos, Brasil, Rússia, índia e Reino Unido são os países que lideram o ranking de infectados por Covid-19 no planeta. Nesta sexta-feira, os cinco países somavam pouco menos de 4,5 milhões de casos da doença, o que corresponde a mais da metade dos 8,5 milhões de casos computados pela universidade até o momento.

O diretor geral da OMS também alertou para o fato de o mundo estar atravessando uma fase “nova” e “muito perigosa”: “Muitas pessoas estão compreensivelmente cansadas de ficarem em suas casas, os países estão compreensivelmente ansiosos para abrir suas sociedades, mas o vírus ainda está se espalhando rapidamente, ele ainda é mortal e a maioria das pessoas ainda são suscetíveis”, completou Ghebreyesus. 

O alerta acontece no momento em que os países mais afetados lançam medidas para relaxar o isolamento social. No Brasil, diversos estados possibilitaram a abertura do comércio, mas algumas regiões já registraram aumento no número de casos. Grandes cidades americanas, como Nova Iorque, começam a retomar atividades não essenciais Uma das situações mais preocupantes está na Índia. Depois de impor uma quarentena rigorosa, o primeiro ministro, Narendra Modi, determinou a retomada de atividades de fábricas e lavouras. Na última terça-feira, o país registrou o recorde de 2.000 óbitos em 24 horas. Modi recomendou aos indianos fazerem ioga para se fortalecerem.

os técnicos da OMS fizeram um alerta para os processos de abertura. “A saída dos lockdowns deve ser feita de maneira cuidadosa, passo a passo e com apoio em dados. Se você não sabe onde o vírus está, as chances são de que ele irá te surpreender”, disse Mark Ryan, diretor dos programas de emergência da OMS.

  • A líder técnica da entidade afirmou que há a possibilidade de ocorrer uma segunda onda da doença em países que relaxaram o confinamento e o isolamento social: “Não devemos ficar surpresos com o reaparecimento de novos casos, porque uma grande parte da população ainda está suscetível. Se não tomarmos medidas, como distanciamento físico, lavagem de mãos, e todas as outras medidas para detectar, isolar, cuidar, e rastrear (o vírus), o número de casos vai decolar. Então, devemos estar preparados não apenas para levantar essas medidas, mas também para reativá-las rapidamente quando necessário”, disse Maria Van Kerkhove.

    Continua após a publicidade
    Publicidade