Clique e assine a partir de 8,90/mês

Novo governo ucraniano diz que precisa de 35 bilhões de dólares para evitar falência

Ministro interino das Finanças pede que Ocidente ajude a organizar conferência de doadores

Por Da Redação - 24 fev 2014, 10h20

As novas autoridades da Ucrânia afirmaram nesta segunda-feira que o país vai precisar nos próximos dois anos de uma ajuda financeira de 35 bilhões de dólares para evitar a falência. “Nós pedimos a nossos sócios ocidentais a organização de uma grande conferência de doadores”, disse o ministro interino das Finanças, Yuri Kolobov. O apelo ocorre dois dias após a destituição do presidente Viktor Yanukovich.

As novas autoridades desejam uma grande conferência internacional com União Europeia, Estados Unidos, FMI e outras organizações internacionais. A meta é obter os recursos necessários para a “modernização e as reformas na Ucrânia”, disse o ministro.

Leia também:

Em vídeo viral, jovem ucraniana diz que “povo quer ser livre”

Presidente interino diz que integração europeia é ‘prioridade’

A ajuda ocidental seria especialmente bem-vinda se a Rússia, irritada com as mudanças repentinas na Ucrânia, decidir suspender a ajuda de 15 bilhões de dólares prometida a Kiev em dezembro. Até o momento, Moscou liberou apenas 3 bilhões.

Durante o fim de semana, o governo dos Estados Unidos e o Fundo Monetário Internacional anunciaram que estavam dispostos a ajudar economicamente a ex-república soviética, que enfrenta a pior crise desde a independência em 1991. O ministro britânico das Finanças, George Osborne, afirmou que a União Europeia (UE) também está preparada para dar seu apoio.

(Com agências EFE e France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade