Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Novo atentado deixa pelo menos 14 mortos na Rússia

Após explosão que matou 17, cidade de Volgogrado voltou a ser alvo de ataque

Por Da Redação 30 dez 2013, 04h03

Pelo menos catorze pessoas morreram e mais de vinte ficaram feridas em um atentado contra um ônibus na cidade russa de Volgogrado, no sudoeste do país. O ataque acontece apenas um dia depois de uma explosão provocada por uma mulher-bomba ter deixado dezessete mortos em uma estação de trem na mesma localidade. “O número de mortos aumentou a catorze e o de feridos a 28”, afirmou o porta-voz do ministério russo da Saúde, Oleg Salatai, citado pelas agências russas.

Leia também

Atentado mata 17 em estação de trem na Rússia

Mulher suicida explode ônibus e mata seis na Rússia

O ataque desta segunda-feira atingiu um ônibus que trafegava na hora do rush perto de uma movimentada área comercial, no distrito de Dzerzhinsky. Nenhum grupo assumiu a autoria dos últimos atentados. A explosão aconteceu às 8h23 locais (2h23 de Brasília), também de acordo a polícia. O ataque destruiu completamente o ônibus.

Segundo a CNN, um vídeo de uma câmara de segurança mostra o momento do atentado e é possível ver a lataria do ônibus se distorcendo após a forte explosão. O impacto da explosão estourou o teto e os vidros do ônibus, bem como as janelas de várias casas próximas. Com base nas imagens, a explosão parece ter ocorrido na metade de trás do ônibus.

De acordo com as investigações, o ataque foi cometido por um homem-bomba. “Uma investigação foi aberta para apurar o atentado terrorista”, declarou Vladimir Markine, porta-voz do comitê de investigação, organismo responsável pelas principais apurações policiais na Rússia. Segundo a rede BBC, as autoridades russas aumentaram a segurança em estações de trem e aeroportos em todo o país.

Olimpíada de Inverno – O ataque aumenta a preocupação com a ameaça terrorista durante as Olimpíadas de Inverno em fevereiro, que ocorrerão no resort de Sochi, no Mar Negro, na região do Cáucaso. Apesar de nenhum grupo ter reivindicado os atentados em Volgogrado, localizada 650 quilômetros ao norte de Sochi, as explosões ocorrem poucos meses após o líder checheno Doku Umarov convocar ataques contra alvos civis na Rússia, visando a aproximação dos Jogos Olímpicos. Rebeldes separatistas muçulmanos buscam instaurar um estado islamita na região do Cáucaso.

(Com Estadão Conteúdo e agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade