Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Nova York exigirá atestado de vacinação da Covid-19 para locais fechados

Medida é mais uma das tentativas da prefeitura para aumentar taxa de imunização, que vem apresentando queda nas últimas semanas

Por Da Redação Atualizado em 3 ago 2021, 19h12 - Publicado em 3 ago 2021, 19h12

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, deverá anunciar nesta terça-feira, 3, uma nova medida que exige a comprovação de vacinação para entrada em lugares fechados como restaurantes, academias e teatros. Essa é mais uma tentativa do governo de estimular a imunização da população, que apresentou queda nas últimas semanas.

O programa terá início no final do mês de agosto e vai funcionar de maneira transitória até meados de setembro, quando passará a valer completamente durante a reabertura de escolas e escritórios. A norma será aplicada também a funcionários que trabalham nos respectivos estabelecimentos e é a primeira do gênero nos Estados Unidos.

Essa é mais uma ação agressiva da prefeitura para aumentar os números de vacinação do município e impedir uma possível terceira onda causada pela variante Delta. Anteriormente, o governo já havia anunciado o incentivo de 100 dólares para aqueles que se vacinassem, além de obrigar a imunização dos funcionários municipais aqueles que se recusarem precisam se submeter a testes semanalmente.

De Blasio segue relutante em obrigar a população a usar máscaras em locais fechados, a exemplo de cidades como Los Angeles, São Francisco e Washington. Na última segunda-feira, 2, ele recebeu críticas por apenas estimular o uso do acessório ao invés de impor.

A exemplo da França e da Itália, o passe sanitário proposto por Nova York deverá ser apresentado nas entradas de academias, restaurantes e bares. No entanto, ao contrário dos países europeus, o teste negativo não poderá servir como validação. Segundo o prefeito, a norma é uma forma de encorajar os nova-iorquinos a aproveitar a cidade.

Continua após a publicidade

Até o momento, 66% da população adulta do município foi imunizada e alguns locais específicos apresentam taxas baixas de vacinação. Os Estados Unidos voltaram a apresentar alta no número de casos e mortes por Covid-19 devido à propagação da variante Delta, que é mais transmissível, e à recusa por parte da população em receber os imunizantes.

Nos últimos dias, a cidade de Nova York e outros municípios espalhados pelos EUA começaram a impor ordens para que funcionários municipais sejam vacinados ou, caso se recusem, que realizem testes frequentes para Covid-19. A medida visa conter o avanço da variante Delta, responsável por 83% dos casos da doença no país. 

Além disso, o Centro de Controle e Prevenção de Doença dos Estados Unidos (CDC), voltou a recomendar o uso de máscaras na maioria dos locais fechados, dois meses após ter recomendado o contrário.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.