Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Nova tempestade provoca cancelamento de voos nos EUA

Segundo a rede de TV CBS, pelo menos 1.500 voos já foram cancelados

Por Da Redação 7 nov 2012, 16h20

Pouco mais de uma semana após a passagem da tempestade Sandy pelos Estados Unidos, uma nova tempestade, que não tem nome, volta a trazer preocupação para moradores de regiões que ainda estão se recuperando da devastação. Um dos primeiros efeitos causados pelo novo fenômeno foi o cancelamento de voos.

Segundo a emissora CBS, pelo menos 1.500 voos já foram cancelados. Muitos deles tinham como destino ou ponto de partida importantes aeroportos de Nova York, como o JFK e o La Guardia. Companhias aéreas como a United Airlines e a American Airlines anunciaram a suspensão preventiva dos voos da tarde desta quarta até esta quinta-feira.

Os cancelamentos da American Airlines incluem dois voos que partiriam do Brasil nesta quarta-feira, rumo ao aeroporto JFK (um saindo de Guarulhos, São Paulo, e outro do Galeão, no Rio de Janeiro), e outro que partiria de Nova York com destino ao aeroporto do Galeão. A United informou apenas que seus voos a partir do Brasil, com destino a Nova York estão atrasados. A TAM informou que não cancelou nenhum de seus voos.

Saiba mais: Sandy causa prejuízo de US$ 200 mi por dia a Nova York

Além disso, a apuração de votos das eleições presidenciais americanas foi suspensa em Nova York nesta quarta-feira como medida de precaução contra uma nova tempestade que deve atingir a cidade nas próximas horas. Os moradores das áreas baixas da cidade também foram aconselhados a buscar refúgio com familiares, amigos ou em abrigos públicos.

Continua após a publicidade

De acordo o serviço meteorológico americano, a tempestade deverá atingir a costa de Nova York e Nova Jersey com ventos de até 96 km/h e fortes chuvas. O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, solicitou a evacuação de algumas áreas que já haviam sido afetadas anteriormente pela devastadora tempestade Sandy. Parques foram fechados como medida preventiva, diante da possibilidade de quedas de árvores.

Obras de construção foram paralisadas para evitar problemas relacionados aos fortes ventos – na última semana, quando Sandy atingiu Manhattan, um guindaste entortou e uma operação de segurança foi montada para evitar a queda da estrutura.

O governador de Nova Jersey, Chris Christie, avisou que a parcela da população que voltou a receber energia elétrica recentemente pode voltar a ficar sem acesso a eletricidade.

Leia também: Para alguns, Sandy foi oportunidade de ganhar dinheiro

Energia – O governo americano também informou que 672.000 pessoas ficaram sem energia em sete estados na tarde desta quarta-feira devido à tempestade de inverno que se aproxima. Nesta manhã, 650.000 já estavam sem energia.

(Com Agência France Presse e Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade