Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nova Jersey estende prazo para recebimento de votos

Eleitores do estado devastado pela tempestade Sandy poderão votar à distância

Diante dos problemas causados pela passagem de Sandy pelos Estados Unidos, o governo de Nova Jersey, um dos estados mais afetados pela tempestade, decidiu ampliar o período de votação até a noite de sexta-feira. A medida vale para votos à distância, enviados por e-mail.

O secretário do estado de Nova Jersey, Kim Guadagno, explicou que as autoridades eleitorais estão recebendo os formulários de votação em uma quantidade muito maior que a capacidade de processar os documentos no período inicialmente previsto.

A votação por e-mail era uma medida restrita a pessoas que moravam em outros países e ao pessoal militar, mas acabou sendo ampliada a população afetada pelo Sandy, apesar das preocupações relacionadas à segurança do voto ‘virtual’.

Saiba mais: Governador de Nova Jersey decreta racionamento de combustível

Voto – O governador de Nova Jersey, Chris Christie, reiterou hoje os elogios feitos ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, após a passagem de Sandy pelo estado, mas declarou voto ao colega republicano Mitt Romney.

O governador, que é bastante popular e visto como possível candidato presidencial republicano em 2016, irritou alguns integrantes da campanha de Romney com os elogios feitos ao mandatário.

Irregularidades – Queixas sobre irregularidades eleitorais surgiram na terça-feira em várias partes do país, envolvendo desde a presença de observadores nas seções eleitorais até a instalação dos softwares nas máquinas que apuram a votação.

Grupos apartidários também apontaram problemas relacionados à solicitação de documentos de identidade na Pensilvânia, onde a exigência não está em vigor. “Mesários foram mal e equivocadamente treinados, e estão lá de pé ou sentados e exigindo que as pessoas mostrem identidade, e mandando para casa as pessoas que não têm carteira de identidade”, disse Barbara Arnwine, diretora-executiva do Comitê de Advogados pelos Direitos Civis, durante entrevista coletiva em Washington. “O Estado da Pensilvânia deveria se envergonhar.”

No mês passado, um juiz da Pensilvânia proibiu que as autoridades exigissem a apresentação de documento com foto para votar, o que foi um revés para os republicanos.

Em 2011, dezenas de Estados com Assembleias Legislativas controladas por republicanos adotaram novas leis eleitorais que, segundo críticos, desestimulavam a participação de grupos minoritários. Tribunais anularam várias dessas leis, ou pelo menos adiaram sua implantação.

Ainda na Pensilvânia, o Partido Republicano obteve uma liminar para permitir a participação de 75 fiscais que supostamente teriam sido proibidos de entrar nas seções eleitorais.

Em muitos Estados, as longas filas geraram temores de que alguns eleitores possam desistir de votar. Houve demora na Flórida, na Virgínia e em Ohio, três estados com potencial para decidir a eleição. Nova Jersey e Nova York, estados castigados pela tempestade Sandy na semana passada, também registraram lentidão na votação.

Ativistas disseram que as filas podem causar constrangimento internacional para os Estados Unidos. “Quando você olha as filas formadas em lugares como Ohio, elas são mais longas do que as filas em Bagdá e Cabul”, disse Wade Henderson, presidente da Conferência de Liderança sobre Direitos Civis e Humanos.

(Com Agência Reuters)