Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Nova Délhi fecha escolas e cogita lockdown por poluição extrema

Uma das cidades mais poluídas do mundo, capital indiana é envolta por uma espessa camada de fumaça todos os invernos

Por Da Redação Atualizado em 17 nov 2021, 16h21 - Publicado em 17 nov 2021, 14h58

O governo de Nova Délhi, na Índia, fechou escolas e pediu para que as pessoas trabalhem em suas casas devido aos níveis perigosos de poluição do ar.

Uma das cidades mais poluídas do mundo, a capital indiana é envolta por uma espessa camada de fumaça todos os invernos. 

No último sábado, 12, as autoridades ordenaram o fechamento das escolas por quatro dias. 

Além disso, obras estão proibidas e caminhões que não transportam produtos essenciais não podem entrar na cidade até 21 de novembro. 

No entanto, na noite de terça-feira, 16, a Comissão para Gerenciamento da Qualidade do Ar de Nova Délhi afirmou que todas as instituições de ensino devem permanecer fechadas até segunda ordem. 

Além das escolas, cinco usinas termelétricas também tiveram suas atividades temporariamente interrompidas por ordem do painel sobre poluição do ar, subordinado ao Ministério Federal do Meio Ambiente, Florestas e Mudanças Climáticas. 

Para tentar amenizar a fumaça, o governo tem utilizado irrigadores de água em pontos estratégicos da capital pelo menos três vezes ao dia.

Continua após a publicidade

A comissão estipulou também que pelo menos metade dos funcionários do governo devem trabalhar de casa e estimulou empresas privadas a fazerem o mesmo.

As novas medidas ocorrem dias de o governo de Nova Délhi se opor a um apelo da Suprema Corte da Índia para declarar um “bloqueio de poluição”.

Além da capital, o tribunal também criticou o governo federal pela falta de ação para diminuir o problema. 

A capital da Índia é uma das cidades mais poluídas do mundo e luta contra a poluição crônica todos os anos durante o inverno.

A queda na temperatura retém os poluentes oriundos das usinas elétricas e de carvão, além dos gases emitidos pelos veículos e a queima de lixo a céu aberto. 

Além disso, um dos principais contribuintes para o excesso da poluição do ar são os fazendeiros que queimam os resíduos de suas colheitas em cidades dos estados vizinhos. 

Durante a Conferência das Nações Unidas para as Mudanças Climáticas, a COP26, a Índia fez um dos anúncios mais ambiciosos.

O primeiro-ministro, Narendra Modi, comprometeu-se a gerar metade da eletricidade do país com fontes renováveis até 2030 e buscar emissão zero até 2070.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)