Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

“Nosso vínculo é inquebrável”, diz Trump em celebração de 75 anos do Dia D

Presidente americano participou de cerimônia ao lado de veteranos de guerra, Emmanuel Macron e Theresa May

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, elogiou nesta quinta-feira, 6, os laços de seu país com os Aliados da Segunda Guerra Mundial e afirmou que esse vínculo é “inquebrável” durante a cerimônia de comemoração do 75° aniversário do Desembarque na Normandia.

“A todos nossos amigos e parceiros: a nossa prezada aliança foi criada no calor da batalha, posta à toda prova nas dificuldades da guerra e demonstrou as bênçãos da paz. O nosso vínculo é inquebrável”, disse Trump em um ato de homenagem no cemitério americano de Normandia. “Hoje, os Estados Unidos abraçam o povo francês e o agradece por honrar nossos venerados mortos”, acrescentou.

O presidente americano centrou seu discurso nas histórias pessoais dos veteranos que participaram da cerimônia, aos quais rendeu homenagem pelo papel na libertação da Europa. “Aqueles homens lutaram não pelo controle e pela dominação, mas pela liberdade e pela democracia”, disse Trump.

Além disso, o presidente americano aproveitou a oportunidade para ressaltar várias vezes as virtudes de seu país, que considera “hoje mais forte do que nunca”.

Trump deve se reunir hoje com Emmanuel Macron na cidade de Caen, capital da região, antes de deixar a França.

Sacrifício dos soldados

Em seu discurso durante a cerimônia de comemoração pelo Dia D, como ficou conhecida a data em que os Aliados desembarcaram na Normandia para atacar as forças alemãs no litoral norte da França, Macron enfatizou a gratidão de seu povo pelo sacrifício dos soldados americanos, britânicos e canadenses que participaram da operação.

As palavras do presidente francês foram carregadas de mensagens dirigidas a Trump, a quem cumprimentou efusivamente na chegada ao cemitério e pediu para recuperar o caminho do multilateralismo que permitiu a libertação da Europa do domínio nazista.

“A vitória contra a barbárie teria sido impossível sem os Estados Unidos. E foi obtida graças a que as forças armadas estavam unidas”, afirmou Macron em frente a quase 10.000 túmulos de soldados neste cemitério, situado a apenas alguns metros de Omaha Beach, uma das praias do desembarque e onde houve mais baixas aliadas.

Donald Trump cumprimenta veteranos da Segunda Guerra durante cerimônia no Cemitério e Memorial da Normandia em Colleville-sur-Mer – 06/06/2019

Donald Trump cumprimenta veteranos da Segunda Guerra durante cerimônia no Cemitério e Memorial da Normandia em Colleville-sur-Mer – 06/06/2019 (Alain Jocard/AFP)

Para o presidente francês, a grande “lição” de Colleville sur Mer, onde fica o cemitério, é que “liberdade e democracia são inseparáveis”.

Macron começou seu discurso se dirigindo aos veteranos da Segunda Guerra Mundial que presenciaram o ato – dezenas deles presentes no Dia D – para assegurar-lhes que “a França não esquece”.

“Sabemos o que devemos aos veteranos: a nossa liberdade. Em nome da nossa liberdade quero agradecer vocês”, expressou Macron em uma frase em inglês, dentro de um discurso pronunciado em francês.

Macron, que condecorou com a Legião de Honra cinco desses veteranos americanos, caminhou depois com Trump – ambos acompanhados pelas suas esposas – até um mirante próximo de onde se pode observar a praia de Omaha Beach.

Embora o evento tenha acontecido na França, a primeira-ministra britânica Theresa May foi a anfitriã do ato, para simbolizar o vínculo com o Reino Unido com os 20 hectares do memorial.

Em seu discurso, o presidente francês também enfatizou a gratidão de seu povo pelo sacrifício dos soldados britânicos, e aproveitou também para fazer alusões à atualidade política, mas não citou o Brexit.

“Os debates do presente não tiram nada do nosso passado comum e do nosso futuro comum”, afirmou, antes de acrescentar que “a força de nosso relacionamento supera as vicissitudes do momento, podemos nos orgulhar dos resultados obtidos”.

“Este monumento também será um símbolo poderoso que unirá nossas nações”, comentou.

As comemorações

Há 75 anos, tropas do Reino Unido, dos Estados Unidos, do Canadá e da França atacaram as forças alemãs no litoral norte da França. Maior operação militar já realizada, ela marcou o início da campanha para libertar o território noroeste da Europa ocupada pelos nazistas.

O Dia D envolveu o desembarque simultâneo de milhares de tropas em cinco praias na Normandia. Quase 7.000 embarcações foram usadas na operação, transportando um total de 156.000 soldados.

(Com EFE)