Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

No ‘Daily Show’, Obama afirma que sua política está dando frutos ‘tarde’

Em sua última entrevista como presidente ao popular programa, o presidente defendeu suas conquistas e alfinetou o Partido Republicano e o pré-candidato Donald Trump

Por Da Redação 22 jul 2015, 08h05

Barack Obama gravou na noite desta terça-feira em Nova York aquela que será sua última entrevista como presidente dos Estados Unidos ao ‘Daily Show’, popular programa de entrevistas do canal Comedy Central, apresentado por Jon Stewart. Num momento de sinceridade, o presidente disse: “Muito do trabalho que fizemos no princípio começou a dar frutos tarde”.

A entrevista será transmitida hoje às 23h (0h de Brasília) e, segundo uma transcrição preliminar divulgada pela Casa Branca, o presidente repassou seus seis anos e meio no cargo, e reconheceu que ainda resta “um punhado de coisas que queremos que estejam feitas” antes de deixá-lo dentro de um ano e meio. “O que sinto atualmente é que tenho 18 meses”, disse Obama, evitando fazer um balanço antes do tempo, e marcando na agenda temas como a mudança climática, a eficiência energética e a política externa em relação à Índia e à China.

Leia também

Donald Trump lidera pesquisa das primárias republicanas

Obama não visitará povoado de seu pai em viagem ao Quênia

Continua após a publicidade

Obama: ‘Apesar do acordo, ainda há profundas diferenças com o Irã’

Além disso, Obama brincou bastante com Jon Stewart, a quem visita pela terceira vez como presidente e que deixará o programa em agosto. “Não posso acreditar que você vai embora antes de mim. Vou ditar uma ordem executiva que determine que Jon Stewart não pode deixar o programa “, ironizou o presidente. Stewart não se privou de fazer perguntas incômodas: “Quem vamos bombardear agora?”, disse, arrancando risos da plateia e do próprio Obama.

Acordo com o Irã – O presidente dos EUA também aproveitou para falar do pacto nuclear com o Irã. “Realmente quero que as pessoas prestem atenção neste assunto”, comentou, fazendo referência ao pacto com a extinta União Soviética na época da Guerra Fria. “Isso sim representou uma grande ameaça e nós realmente tivemos que ceder. Nesta situação agora não tivemos que abrir mão de nada”, garantiu. Obama ressaltou, no entanto, que as relações com o Irã não deixam de ser complexas e o país seguirá sendo um problema na região, mas “seria um problema catastrófico se eles tivessem uma arma” nuclear.

O presidente americano também falou do Obamacare e seu criticado funcionamento. “Há muita euforia, mas temos 16 milhões de pessoas com seguro médico que antes não tinham”. Por fim, Obama usou o programa de entrevistas para pedir o compromisso político dos cidadãos. “Se as pessoas se comprometem, cedo ou tarde o sistema político responde”, garantiu. “É esse o conselho que está dando ao futuro presidente Donald Trump?”, brincou Stewart. “Tenho certeza que os republicanos estão adorando este momento”, alfinetou Obama. O magnata Donald Trump, pré-candidato republicano, vem atraindo críticas da imprensa e do próprio partido por uma série de declarações desastrosas. Mesmo assim, ele lidera as intenções de voto para ser o candidato do partido.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade