Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nigéria não exige desculpas de David Cameron – mas quer seu dinheiro de volta

Nesta terça-feira, o primeiro-ministro britânico foi flagrado dizendo que o país africano está entre os mais corruptos do mundo

O presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, disse que não exigirá desculpas de David Cameron depois de o primeiro-ministro britânico ter chamado seu país de “extraordinariamente corrupto”. No entanto, o político africano anunciou que está mais interessado nos bilhões de dólares que saíram da Nigéria e estão presos em instituições da Grã-Bretanha

Nesta terça-feira, Cameron foi flagrado dizendo que os líderes de alguns países corruptos iriam a Londres para uma conferência anti-corrupção, citando especificamente a Nigéria e o Afeganistão como “possivelmente os dois países mais corruptos do mundo”. Em seguida, o arcebispo de Canterbury, Justin Welby, que já trabalhou na Nigéria, disse que “esse presidente em particular (Muhammadu Buhari) não é corrupto”.

De acordo com o jornal The Guardian, Buhari se pronunciou sobre o assunto em uma palestra no evento nesta quarta-feira. “O que eu faria com um pedido de desculpas? Preciso de algo tangível. O que estou pedindo são meus ativos de volta”, afirmou.

Na conferência, autoridades da Nigéria explicaram que o país sofreu um roubo em grande escala por parte de líderes políticos e nas negociações do petróleo. Grande parte desse valor foi enviado a centros financeiros no exterior, como Londres, cidade que recebeu 37 bilhões de dólares (cerca de 129 bilhões de reais) do país africano. Agora, Buhari quer esse dinheiro de volta. “Com o colapso dos preços do petróleo, nós precisamos de cada centavo que pudermos conseguir, pelo menos para pagar salários”, afirmou ele na coletiva.

Leia também:

Em vídeo, Cameron diz que Nigéria e Afeganistão estão entre os países mais corruptos do mundo

Buhari se negou a dizer se achou o comentário de Cameron rude, dizendo que a Grã-Bretanha foi pioneiro em tentar rastrear membros do governo da Nigéria que haviam agido erroneamente. Quando questionado se o seu país era, de fato, “extraordinariamente corrupto”, o presidente refletiu por um momento e respondeu que sim.

A Nigéria foi ranqueada em 136º lugar em uma lista de 167 países no índice de Percepção da Corrupção, em 2015. Na conferência desta quarta, o líder nigeriano também afirmou que irá passar a fazer parte da Parceria para Governo Aberto, um grupo internacional planejado para tornar as ações dos governos mais transparentes.

(Da redação)