Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Netanyahu tenta convencer ministros a atacar o Irã

Por Gali Tibbon - 2 nov 2011, 09h39

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e seu ministro da Defesa, Ehud Barak, tentam convencer outros membros do governo israelense a atacar instalações nucleares iranianas, informa o jornal Haaretz.

Na segunda-feira, Barak negou informações da imprensa de que teria decidido, em conjunto com Netanyahu, atacar o Irã, apesar da oposição dos comandantes das Forças Armadas e dos serviços de inteligência.

Ao mesmo tempo, no entanto, Barak afirmou que é preciso “atuar por todos os meios necessários e não descartar nenhuma opção”.

O Haaretz afirma que Netanyahu, Barak e o ultradireitista ministro das Relações Exteriores, Avigdor Lieberman, querem atacar o Irã, mas que os outros principais ministros do gabinete são contrários.

Publicidade

Para estes cinco ministros, Israel devem continuar tentando mobilizar os países ocidentais para exercer pressões econômicas contra o Irã, e não pode atacar militarmente o Irã sem um acordo com os Estados Unidos.

O Haaretz, que cita ministros e altos funcionários da Defesa e das Relações Exteriores, afirma que o governo israelense considera decisivo um relatório que será divulgado no dia 8 de novembro pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

Israel e as potências ocidentais acusam o Irã de tentar fabricar a bomba atômica, sob a fachada de um programa nuclear civil. Teerã nega que o programa tenha objetivos militares.

Publicidade