Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Netanyahu se encontra com Trump no dia 25

Encontro em Washington se dará 15 dias antes das eleições parlamentares; premiê israelense encontrará Bolsonaro no início de abril

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, receberá na próxima semana o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, para uma reunião em Washington entre os dias 25 e 26, informou o porta-voz da Casa Branca. O encontro se dará 15 dias antes da eleição parlamentar israelense, que poderá por fim aos 10 anos no poder do premiê, e em um momento no qual Netanyahu responde a processos por corrupção.

“O presidente e o primeiro-ministro discutirão os interesses comuns de seus países e as futuras ações no Oriente Médio durante uma reunião de trabalho no dia 25 de março”, comunicou a residência oficial do presidente americano nesta quarta-feira, 20. Ainda segundo o anúncio, no dia seguinte às conversas, Trump oferecerá um jantar para Netanyahu.

O encontro da próxima semana é o primeiro entre os líderes em Washington, mas eles já fizeram uma reunião bilateral há poucos meses, em setembro de 2018, paralela à sessão de abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas.

Na ocasião, Trump surpreendeu o primeiro-ministro de Israel ao anunciar que a Casa Branca apresentaria um plano de paz para a questão israeli-palestina em, no máximo, quatro meses. O governo americano sempre foi visto como um empecilho ao processo de negociações.

A visita do líder israelense completará um ciclo de reuniões entre três dos líderes de extrema-direita mais comentados no cenário internacional. Netanyahu chegará nos Estados Unidos poucos dias depois da partida do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

Nos últimos dias, Trump recebeu o líder brasileiro, que viajará para Israel entre os dias 31 de março e 4 de abril, quando se encontrará com o premiê do país. Em princípio, não levará a confirmação de sua decisão de transferir a embaixada brasileira de Tel Aviv para Jerusalém, como prometera, seguindo o exemplo do líder americano.

Durante essa estadia, o presidente brasileiro deve entregar a medalha da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul à Netanyahu. A honraria é a mais alta condecoração brasileira atribuída a cidadãos estrangeiros, e foi oferecida ao israelense por decreto presidencial, como um ato de diplomacia, no início de janeiro. 

Em dezembro, os dois se reuniram no Rio de Janeiro, e o primeiro-ministro israelense estendeu sua estadia para assistir à posse de Bolsonaro. Antigo morador da cidade, Bolsonaro declarou que Brasil e Israel, mais do que parceiros, são “irmãos no futuro, na economia, em tecnologia, em tudo aquilo que possa trazer benefícios para os dois países”.

Netanyahu agradeceu pela “gentilíssima recepção”: “Israel é a terra prometida. E o Brasil é terra da promessa (para o futuro)”, afirmou à época.

(com Reuters)