Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Netanyahu afirma que os EUA barraram nova moratória

Israel teria dado sinal verde, mas Washington preferiu seguir outro caminho

Por Da Redação 3 jan 2011, 11h38

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou nesta segunda-feira que deu sinal verde aos Estados Unidos para outra moratória na construção dos assentamentos judaicos, mas que Washington preferiu seguir outro caminho.

“Quando os palestinos entraram em cena ao final da moratória, foi proposta uma continuação por outros três meses. Nós estávamos dispostos, ao contrário do que foi divulgado”, manifestou Netanyahu perante a Comissão de Exteriores e Segurança.

Em uma reunião dedicada às negociações com os palestinos, o premiê israelense sinalizou ao presidente Barack Obama que “poderia aprovar a moratória no Conselho de Ministros, mas então chegou uma notificação americana informando que o assunto tinha sido descartado”.

O primeiro-ministro insistiu que não foi por recusa de Israel, mas porque Washington chegou à conclusão de que “a decisão não surtiria efeito, apenas causaria uma situação de moratórias intermináveis”.

Diálogo – As negociações entre israelenses e palestinos foram congeladas no dia 27 de setembro, um dia após terminar a moratória parcial de dez meses decretada no final de 2009. Os palestinos se recusaram a continuar negociando enquanto Israel não declarasse outra suspensão da construção na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental.

Netanyahu reconhece que as negociações com os palestinos estão “estagnadas”, mas tira a culpa de Israel. “Nenhum acordo de coalizão deterá as negociações. Nós nos esforçamos, mas os palestinos não avançaram nem um milímetro.”

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade