Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Navio militar dos EUA se aproxima de ilhas chinesas e irrita Pequim

O governo chinês advertiu que 'responderá de maneira decidida a qualquer ação de provocação'

Um navio contratorpedeiro com mísseis guiados da Marinha dos Estados Unidos navegou próximo às ilhas artificiais chinesas no disputado Mar da China Meridional nesta terça-feira, provocando uma firme repressão de Pequim, que disse ter alertado e seguido a embarcação americana. A presença do USS Lassen é o desafio mais significativo dos EUA até o momento aos limites territoriais de 12 milhas náuticas (22 quilômetros) que a China impõe em torno das ilhas do arquipélago de Straptly, e poderia elevar as tensões em uma das rotas marítimas mais movimentadas do mundo.

Uma autoridade de defesa americana disse à agência Reuters em condição de anonimato que o USS Lassen fez o primeiro de uma série de exercícios de “liberdade de navegação”, com objetivo de testar as reivindicações territoriais chinesas. “A China decididamente irá responder às provocações deliberadas de qualquer país”, informou o Ministério das Relações Exteriores em nota, que não deu detalhes precisos sobre onde o navio dos EUA navegou.

Leia também

China inaugura parque com temática comunista

Ao lado do presidente chinês, Obama cobra mais liberdades civis na China

EUA avistam artilharia chinesa em ilha artificial na Ásia

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Lu Kang, disse posteriormente que caso os Estados Unidos continuassem a “criar tensões na região”, a China poderia concluir que precisaria “aumentar e fortalecer nossa presença” na região. “Pequim se opõe que um país utilize a liberdade de navegação e de sobrevoo como como pretexto para violar a soberania nacional da China ou seus interesses de segurança”, completou o porta-voz, antes de advertir que o governo “responderá de maneira decidida a qualquer ação de provocação”.

A China considera como águas territoriais a zona de 12 milhas náuticas que cerca estas ilhas, mas os Estados Unidos não reconhecem a reivindicação. O governo de Pequim reivindica direitos sobre quase todo o Mar da China Meridional, onde o país coordena grandes obras que estão transformando os recifes em portos, pistas e outros tipos de infraestruturas. EUA e os países do sudeste da Ásia temem que a China assuma o controle de uma das rotas marítimas mais estratégicas do mundo. Vietnã, Malásia e Brunei também reivindicam a soberania sobre o arquipélago Spratly, uma centena de pequenas ilhas e recifes desabitados.

Foto tirada por aviões de vigilância e divulgada pelo governo das Filipinas de uma embarcação da China usada na criação de um ilha no disputado arquipélago Spratly

 (/)

(Da redação)