Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Naufrágio em Cuba mata 38 emigrantes haitianos

Oficiais da guarda costeira cubana resgataram 87 pessoas do acidente

Por Da Redação 25 dez 2011, 09h34

Pelo menos 38 pessoas morreram após o naufrágio de uma embarcação de emigrantes haitianos, neste sábado, na costa leste de Cuba, informou a televisão estatal cubana. Os corpos foram encontrados pela guarda costeira do país, que resgatou outras 87 pessoas.

Os trabalhos de busca e resgate permitiram encontrar os corpos 21 homens e 17 mulheres. Segundo uma nota divulgada pelo Estado-Maior Nacional da Defesa Civil de Cuba, os guardas cubanos encontraram os restos da embarcação a cerca de 100 metros a leste de Ponta Maisí, no extremo da província oriental de Guantánamo. A causa do acidente não foi informada.

“Forças combinadas da Cruz Vermelha cubana e as autoridades locais continuam a busca, o resgate e salvamento na área”, acrescenta a nota. Das 87 pessoas salvas, 80 são homens e sete são mulheres – quatro resgatados são menores de idade, que atualmente recebem atenção em um acampamento internacional de imigrantes em Ponta Maisí.

Precedentes – Os naufrágios de embarcações precárias usadas por emigrantes haitianos – e também cubanos – para tentar chegar aos Estados Unidos são comuns no Caribe. Em julho de 2009, 70 emigrantes haitianos desapareceram no naufrágio de sua embarcação, em frente às ilhas Turcas e Caicos. A guarda costeira conseguiu resgatar 118 pessoas com vida e 15 corpos do mar.

A cada ano, em embarcações muitas vezes precárias, milhares de haitianos tentam atravessar os 1.000 quilômetros que separam seu país, o mais pobre das Américas, dos Estados Unidos. Devido à proximidade geográfica entre Cuba e Haiti, apenas 120 quilômetros de distância, as embarcações com emigrantes haitianos são frequentes no extremo leste cubano, onde os que conseguem chegar recebem alimento e cuidados médicos, sendo depois devolvidos ao seu país.

(Com agências France-Presse e EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade