Clique e assine a partir de 9,90/mês

Naufrágio em Bangladesh deixa 9 mortos e centenas de desaparecidos

Embarcação superlotada poderia estar carregando até 350 pessoas, com muitas mulheres e crianças a bordo

Por Da Redação - 15 Maio 2014, 12h01

Pelo menos nove pessoas morreram nesta quinta-feira no naufrágio no rio Meghna, no centro de Bangladesh, de um barco no qual viajavam centenas de passageiros, informou a imprensa local. “Há dados contraditórios sobre o número de passageiros a bordo no momento do naufrágio, mas poderiam ser entre 200 e 350”, afirmou à agência France-Presse um funcionário do distrito de Munshigankh, onde aconteceu o acidente, Saiful Hasan Badal. Entre as vítimas estão mulheres e crianças, segundo o chefe da polícia local, Ferdus Ahmed. “A balsa afundou completamente. Agora estamos tentando localizá-la”, disse.

Soldados da administração do distrito e da guarda litorânea e a população local participam das tarefas resgate das centenas de vítimas do naufrágio. As autoridades acreditam que muitos passageiros possam ter nadado para as margens do rio. O acidente aconteceu por volta das 15h30 do horário local (6h30 de Brasília) durante uma tempestade, perto da cidade de Daulatdia, disseram fontes oficiais citadas pelo jornal local The Daily Star. O barco se dirigia do porto de Sadarghat, na capital do país, Daca, à cidade de Shurasher, no distrito de Shatriatpur, disse Hassan Badal.

Leia também

Coreia: capitão e 3 tripulantes de balsa naufragada são acusados de homicídio

Excesso de carga contribuiu para naufrágio na Coreia do Sul

Os naufrágios são frequentes em Bangladesh, sobretudo no chamado Delta do Ganges, que cobre a maior parte de seu território e abriga a foz desse rio, assim como nos leitos fluviais do Brahmaputra e do Meghna. Na maioria dos casos, os acidentes se devem à sobrecarga e ao mau estado de conservação das embarcações. Em março de 2012, mais de 112 pessoas morreram quando um barco de passageiros colidiu com um petroleiro no rio Meghna e afundou. Os barcos são a principal forma de viagens em muitas partes de Bangladesh – um país que é cortado por rios navegáveis.

(Com agências EFE e France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade