Clique e assine a partir de 9,90/mês

Nasa inicia missão espacial em busca de vida em Marte

O veículo 'Perseverança' vai testar se o CO2 na atmosfera do Planeta Vermelho pode ser usado para produzir oxigênio, visando futuras estadias humanas

Por Da Redação - 30 jul 2020, 17h13

O novo veículo espacial da Nasa, batizado de “Perseverança”, decolou nesta quinta-feira, 30, do Cabo Canaveral, na Flórida, nos Estados Unidos, em direção a Marte. Sua missão missão: buscar organismos vivos ou sinais de vida ancestral no Planeta Vermelho.

A sonda da Nasa foi lançada ao espaço em um foguete Atlas V, às 7h51 (horário local, 8h51 de Brasília) da plataforma de lançamento 41 do Centro Espacial Kennedy, e deve chegar a Marte em fevereiro.

A missão Mars 2020 deveria ter acontecido em março deste ano, mas a pandemia de coronavírus obrigou o adiamento, causando prejuízo de 500 milhões de dólares (cerca de 2,7 bilhões de reais). Caso não ocorresse hoje, seria necessário aguardar até 2022 para o veículo ser lançado ao espaço, pois será quando a Terra e Marte estarão alinhados adequadamente.

Segundo a Nasa, as descobertas da missão podem permitir uma eventual exploração humana de Marte. Imagens de satélite sugerem que uma cratera do planeta foi inundada com água há mais de 3,5 bilhões de anos, possibilitando possíveis formas de vida microscópicas.

Continua após a publicidade

O veículo espacial é carregado com instrumentos científicos para explorar a paisagem marciana, além de um pequeno helicóptero, chamado Ingenuity (“Ingenuidade”), para realizar vôos experimentais na rala atmosfera do planeta. Se bem-sucedido, será o primeiro voo em Marte, abrindo caminho para outras missões com observação aérea.

‘Perseverança’ vai examinar a geologia da cratera, a composição química do solo, mapear compostos orgânicos do local, além de registrar temperatura, velocidade do vento e umidade. O experimento mais aguardado é uma testagem para descobrir se o dióxido de carbono na atmosfera pode ser usado para produzir oxigênio, tecnologia que poderia ser utilizada para desenvolver sistemas de suporte de vida para estadias humanas em Marte, segundo a emissora NBC News.

Geralmente, multidões se reúnem para assistir aos lançamentos da Nasa, mas por causa da pandemia de coronavírus, a agência incentivou que os americanos ficassem em casa. A Flórida tornou-se o epicentro das infecções nos Estados Unidos, ultrapassando Nova York com um total de 461.371 casos (2.148 infecções a cada 100.000 habitantes), segundo levantamento do jornal americano The New York Times.

Para homenagear os profissionais de saúde na linha de frente contra a Covid-19, no foguete que deixou a Terra com um desenho de um planeta no topo do símbolo médico com a serpente entrelaçada.

Continua após a publicidade

O lançamento da Nasa é terceira missão com destino a Marte deste mês. A missão Tianwen-1 da China decolou em 23 de julho, e os Emirados Árabes Unidos lançaram com sucesso um orbiter chamado “Hope to Mars” (“Esperança a Marte”) a bordo de um foguete japonês em 20 de julho. Todas as três missões devem chegar ao Planeta Vermelho no início do próximo ano.

(Com EFE)

Publicidade