“Não vegetem no sofá da vida”, pede Francisco a jovens na Polônia

O pontífice incentivou que os jovens "deixem uma marca" no mundo, durante uma fala para mais 1,6 milhão de pessoas

Por Da redação - 30 jul 2016, 17h53

Em discurso durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), neste sábado, o papa Francisco pediu a uma multidão de jovens que “não sejam substitutos” na vida e que não “vegetem” comodamente no sofá da vida”. O pontífice criticou os sedentários e afirmou que as pessoas vieram ao mundo “para deixar uma marca”.

“O tempo que estamos vivendo hoje não necessita de jovens-sofá, mas de jovens com sapatos, melhor ainda, com as chuteiras calçadas. Só aceita jogadores titulares na quadra, não há espaço para substitutos”, convocou Francisco. Segundo o papa, é fácil “confundir felicidade com sofá” ou passar os dias em frente ao computador, em uma situação de comodidade “longe dos medos”.

Leia também:
Papa Francisco visita Auschwitz em completo silêncio
Papa Francisco cai durante missa na Polônia

Ao ritmo de música pop, uma multidão de jovens recebeu o pontífice uma imensa esplanada em Cracóvia, na Polônia, onde ficarão acampados por toda a noite para compartilhar e meditar sobre fé e fraternidade. Os organizadores afirmaram que mais de 1,6 milhões de pessoas estavam no local para ouvir os conselhos de Francisco.

“Nossa resposta a esse mundo em guerra tem um nome: chama-se fraternidade”, disse o papa após escutar o testemunho de Rand, um sírio de Aleppo, causando aplausos. Ao fim de seu discurso, Francisco pediu que se fizesse uma corrente humana, dando-se as mãos como uma mensagem a favor da “multiculturalidade”, que “não é uma ameaça, mas uma oportunidade”, completou.

Publicidade

(Com AFP)

Publicidade