Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mursi propõe frente nacional para ‘encarar o antigo regime’

Cairo, 26 mai (EFE).- O candidato que obteve a maioria dos votos no primeiro turno das eleições presidenciais do Egito, o islamita Mohammed Mursi, propôs neste sábado a formação de uma frente nacional ‘para encarar os remanescentes do antigo regime’.

Em seu primeiro discurso à imprensa desde a realização do pleito na quarta e na quinta-feira, Mursi assegurou que ‘nas próximas horas haverá notícias sobre a formação de uma frente nacional contra os restos do regime’ de Hosni Mubarak, deposto em fevereiro de 2011.

Sem mencionar nomes em uma só ocasião, Mursi fazia alusão a seu provável oponente no segundo turno das eleições, Ahmed Shafiq, último primeiro-ministro de Mubarak.

Mursi se reuniu hoje com representantes de outros partidos egípcios em um encontro para obter apoios para o segundo turno, mas os candidatos derrotados nas presidenciais negaram o convite.

‘Analisamos com as outras forças do país os meios para libertar-nos dos restos do antigo regime. Estamos de acordo em como poder acabar com esses remanescentes da corrupção’, salientou Mursi.

Além disso, anunciou que o próximo Executivo do país ‘estará constituído por uma coalizão nacional de forças patrióticas’.

‘Hoje nos reunimos com outros partidos políticos porque temos um só objetivo e destino. Abordamos como podemos chegar a um acordo para a estabilidade, o desenvolvimento e a democracia’, assinalou.

Da mesma forma, prometeu que não será o presidente dos Irmãos Muçulmanos, mas de todos os egípcios: ‘A Presidência será uma instituição e não uma pessoa’, concluiu. EFE