Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mundo vive maior crise humanitária desde 1945, diz ONU

Secretário de assuntos humanitários da ONU afirmou 20 milhões de pessoas podem sofrer com fome e desnutrição na Somália, Iêmen, Sudão do Sul e Nigéria

As Nações Unidas alertaram que o mundo sofre hoje com a maior crise humanitária desde 1945, final da II Guerra Mundial, com o risco de que 20 milhões de habitantes de quatro países sofram com fome e desnutrição. Iêmen, Somália, Sudão do Sul e Nigéria, afetados por conflitos armados, foram citados pelo subsecretário-geral e chefe das operações humanitárias da ONU, Stephen O’Brien, ante o Conselho de Segurança após uma visita a esses países. O’Brien fez na sexta-feira um chamado urgente à mobilização, pedindo 4,4 bilhões de dólares à comunidade internacional até julho para “evitar uma catástrofe”.

“As Nações Unidas lançam um alerta, o mundo enfrenta sua maior crise humanitária desde o final da II Guerra Mundial, com mais de 20 milhões de pessoas que enfrentam a fome e a inanição em quatro países”, declarou. “Do contrário, muita gente vai morrer de fome, perder seus meios de subsistência, e as conquistas políticas dos últimos anos serão revertidas.”

Segundo O’Brien, “sem esforços coletivos e coordenados globalmente, as pessoas simplesmente morrerão de fome. Muitos mais sofrerão e morrerão de doenças”, disse.

Fome e destruição

 

No Iêmen, dois terços dos seus 18,8 milhões de habitantes precisam de assistência e mais de sete milhões “não sabem de onde virá seu próximo alimento”, indicou o O’Brien, lembrando os deslocamentos maciços da população devido aos combates entre forças do governo e rebeldes xiitas huthis. O conflito já deixou mais de 7.400 mortos e 40.000 feridos desde março de 2015, segundo a ONU.

No Sudão do Sul, O’Brien encontrou “a situação pior do que nunca” devido à guerra civil que atinge o país desde dezembro de 2013, e responsabilizou as partes beligerantes pela fome no país. Mais de 7,5 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária neste país, que tem 3,4 milhões de deslocados.

Na Somália, mais da metade dos seus 6,2 milhões de habitantes requerem assistência e proteção, incluindo 2,9 milhões de ameaçados pela fome. Cerca de um milhão de crianças menores de cinco anos sofrerão desnutrição grave neste ano, acrescentou O’Brien. O país vive há três décadas uma situação de caos e violência, causada por milícias de clãs, grupos criminosos e a insurreição de islamistas do grupo Al-Shabaab.

O Nordeste da Nigéria, foco de uma insurreição dos extremistas do Boko Haram desde 2009, é golpeado pelo aquecimento global e pela má governança. Mais de 20.000 pessoas foram mortas e 2,6 milhões de pessoas deixaram suas casas devido ao conflito com o grupo. Segundo a ONU, a desnutrição nessa região do país é tão severa que alguns adultos mal têm forças para caminhar e algumas comunidades perderam todas as crianças.

Mais de 10 milhões de pessoas requerem ajuda humanitária, das quais 7,1 milhões enfrentam uma “grave precariedade alimentar”, apontou O’Brien.

(Com AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Sergio Cihgral

    Em 1945 o mundo estava em escombros devido o fim da guerra, o que justifica a crise humanitária. Entretanto, hoje, o mundo é dominado pelo pensamento e pelos ativistas progressistas, humanistas, globalistas, ecologistas, o que não explicaria a crise humanitária e a violência social reinante. Parece que a utopia do humano construída pelo humano está ruindo…

    Curtir

  2. José Gonzaga da Silva

    Essas guerras tribais são infinitas, ninguém dá jeito….. Agora só uma coisa me deixa intrigado, como essa gente com tanta fome e desnutrição ainda consegue fazer tanta criança???

    Curtir

  3. Jorge Luís dos Santos

    … E a nossa televisão nacional nada divulga ou dilui a tragédia em doses homeopáticas de maneira que concebamos tudo de forma insensível. Que “belo” sistema de informação que temos!!!

    Curtir

  4. Sim, devemos ajudar aos necessitados mas paralelo a isso é crucial que façam um controle natal. As mulheres tem 10 filhos quando sequer conseguem ter como se sustentar… tem-se que acabar com esse ciclo senão teremos que sustentar constantemente esse pobre povo, nunca findará

    Curtir

  5. Luis Carlos Zardo

    A Somalia tem quase 12 MILHÕES de habitantes, não os 6.2 milhões descritos na matéria, e, este é EXATAMENTE o problema com todos os países desta lista e muitos outros que seguirão esta mesma tendência.

    Estes lugares tiveram suas populações QUADRUPLICADAS nos últimos 50 anos, e, mandar comida para lá não vai adiantar nada se não houver uma política de controle de natalidade, global.

    Infelizmente, para agradar a Igreja, estas pessoas tem todas de morrer de fome.

    Curtir

  6. Luis Carlos Zardo

    Sergio Cihgral, o mundo está LONGE de ser dominado por este tipo de pessoas, especialmente, ecologistas, se assim fosse, a população teria consciência ambiental, e jamais teríamos deixado a população mundial chegar aos absurdos e insustentáveis 7 bilhões de hoje.

    O mundo é dominado pelos maníacos que só querem crescimento, econômico e populacional, para fazerem mais dinheiro e terem escravos para suas fábricas.

    Curtir