BLACK FRIDAY: ASSINE a partir de R$ 1 por semana
Continua após publicidade

‘Mundo livre’: Milei diz que viajará a EUA e Israel antes de tomar posse

O ultraliberal e recém-eleito presidente da Argentina afirmou durante a campanha ter alinhamento geopolítico com Washington e Tel Aviv

Por Da Redação
20 nov 2023, 13h24

O presidente eleito da Argentina, Javier Milei, afirmou nesta segunda-feira, 20, que fará uma viagem aos Estados Unidos e depois a Israel antes de tomar posse, em 10 de dezembro.

O político ultraliberal afirmou durante toda sua campanha ter alinhamento geopolítico com Washington e Tel Aviv, que tratou ao longo do processo eleitoral como “mundo livre”.

Por outro lado, criticou a entrada da Argentina no bloco dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), que reúne as economias emergentes, e chegou a prometer a retirada de seu país do Mercosul, ameaçando um altamente antecipado acordo entre o bloco econômico sul-americano com a União Europeia.

Na reta final da campanha, Milei levantou a bandeira (simbólica) de Israel em atos públicos. O país do Oriente Médio está em guerra com o Hamas desde o dia 7 de outubro, quando terroristas invadiram o sul do país, assassinaram cerca de 1.200 pessoas, em sua maioria civis, e sequestraram outras 240, segundo Tel Aviv.

A resposta israelense tem sido criticada pela comunidade internacional devido à questão da proporcionalidade, ou razoabilidade. Segundo o Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas, mais de 13 mil palestinos foram mortos devido a ataques aéreos israelenses e a uma incursão por soldados no norte do território.

Continua após a publicidade

Amigos, pero no mucho

A vitória de Milei pode mudar a política externa do país, em especial os laços com o Brasil, seu maior parceiro comercial. Há temores de que o resultado impacte negativamente as relações com o governo do esquerdista Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

No último debate antes da eleição, Massa acusou seu adversário de querer romper os diálogos com Brasília. Milei rebateu dizendo que o atual presidente argentino, o esquerdista Alberto Fernández, também “não falava com o [ex-presidente Jair] Bolsonaro”.

+ Em último debate, Milei e Massa divergem sobre relação com Brasil

A participação de publicitários brasileiros ligados ao PT no Brasil – alguns dos quais participaram das campanhas presidenciais de Fernando Haddad e Lula – na campanha de Massa também ganhou destaque nos debates locais.

Continua após a publicidade

“Que Massa tenha que guardar esse maldito dinheiro que foi gasto nesses malditos brasileiros que vieram fazer campanha suja, pagos por Lula”, afirmou o candidato ultraliberal.

Lula, por sua vez, driblou uma declaração direta de apoio a qualquer dos candidatos, mas afirmou que o presidente da Argentina “precisa gostar de democracia” e “do Mercosul”. A alfinetada foi direcionada a Milei, acusado de representar uma ameaça à democracia e que disse repetidamente que planeja deixar o bloco econômico sul-americano.

Neste domingo, embora sem mencionar o nome de Milei, parabenizou o novo presidente argentino.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A melhor notícia da Black Friday

Assine VEJA pelo melhor preço do ano!

BLACK
FRIDAY

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana

a partir de R$ 1,00/semana*
(Melhor oferta do ano!)

ou

BLACK
FRIDAY
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

a partir de R$ 29,90/mês
(Melhor oferta do ano!)

ou

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas. Acervos disponíveis a partir de dezembro de 2023.
*Pagamento único anual de R$52, equivalente a R$1 por semana.