Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mulher ciumenta atropela marido após descobrir traição

Maria Addis descobriu que marido a estava traindo com uma ex-aluna de 18 anos, não se controlou e jogou seu carro contra ele

Após descobrir que seu marido, Mark, de 37 anos, estava tendo um caso com uma antiga aluna de 18 anos, a britânica Maria Addis jogou seu carro contra ele, enquanto gritava desesperadamente “ela só tem 18 anos!”. A mulher de 34 anos foi penalizada com 500 libras, pouco mais de 2.500 reais, e sete pontos em sua carteira de motorista por um juiz que considerou o incidente “idiota”. O casal, que morava na cidade de Pontypridd, no País de Gales, se separou após a agressão.

Segundo o tribunal responsável pelo julgamento do caso, a discussão começou por conta de mensagens no celular do marido. Do lado de fora de sua casa, o casal brigava, quando a mulher empurrou Mark contra o chão e se trancou no carro da família. Logo, o professor de educação física se levantou e se posicionou na frente do veículo, com os braços abertos. Ao ser atingido pelo carro, caiu com uma perna machucada.

Leia também:

Estupro coletivo de motorista de ônibus causa comoção na Colômbia

Conheça as 10 mulheres mais perigosas do mundo

Rússia: musa da torcida perde título após descoberta de que a moça é neonazista

Mark Addis e Lucy Gill – a adolescente com que ele supostamente estava tendo um caso e que frequentou a mesma escola em que lecionava – se recusaram a falar publicamente sobre o ocorrido, mas suas páginas no Facebook mostram que estão atualmente em um relacionamento. Os dois afirmaram ao tribunal que só começaram a sair juntos depois que Lucy se formou e após a separação de Mark.

Jeremy Jenkins, encarregado da defesa de Maria Addis, afirmou que a raiva tomou conta da mãe de duas crianças, que agiu de forma precipitada. “Foi um erro jogar o carro na direção do seu ex-marido. Mas isso foi provocado pelas circunstâncias que prevaleciam na época”, justificou. Segundo o juiz responsável pelo caso, Richard Twomlow, o incidente foi “idiota e não deu muito crédito a nenhum dos envolvidos”.

(Da redação)