Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

MSF anuncia que hospital de Kunduz bombardeado “não está mais em operação”

Por Da Redação 4 out 2015, 09h23

A organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) anunciou neste domingo que o hospital de Kunduz (norte do Afeganistão) bombardeado durante um ataque aéreo americano, no qual morreram 12 funcionários da ONG e sete pacientes, deixou de funcionar.

Quem fez o anúncio foi Kate Stegeman, porta-voz da ONG no Afeganistão, em sua conta no Twitter.

As imagens divulgadas após o ataque, realizado durante a madrugada de ontem, mostravam parte do hospital queimando em chamas, enquanto os sobreviventes se amontoavam nas áreas que não tinham sido danificadas.

O hospital, o único com serviços de traumatologia e cirurgia em toda a região e no qual trabalhavam 80 membros da MSF, atendia a uma centena de pacientes no momento do bombardeio, segundo a ONG.

“Além da morte de colegas e pacientes, este ataque cortou o acesso aos serviços de traumatologia da população de Kunduz justo quando mais precisam”, afirmou em comunicado a presidente da MSF-Bélgica, Meinie Nicolai.

Continua após a publicidade

Lajos Zoltan, enfermeiro da MSF que estava no hospital em Kunduz no momento do ataque, narrou após o bombardeio que o hospital, no qual tinha trabalhado desde maio, era o único no qual podia ser atendida a população e “agora já não existe”.

O enfermeiro relatou, segundo a MSF em comunicado, como ao final o bombardeio saiu do refúgio no qual estava dormindo quando começou o ataque e encontrou “o hospital destruído, em chamas”.

“Não existem palavras para descrever o quanto que foi horrível foi. Na Unidade de Terapia Intensiva seis pacientes queimavam deitados em suas camas”, explicou o enfermeiro, ainda comovido.

A MSF esclareceu que entre os sete pacientes que morreram no bombardeio havia três crianças e acrescentou que além disso 37 pessoas estão gravemente feridas, a maior parte das quais foram transferidas para Puli Khumri, a duas horas de Kunduz.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade