Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Mortos chegam a 300 e habitantes começam a fugir

Por Jadyr Pavão 2 jan 2008, 10h52

A explosão de violência no Quênia já deixou mais de 300 mortos e 70 000 desabrigados e milhares de pessoas começam a fugir do país. O presidente reeleito Mwai Kibaki chamou os parlamentares da oposição para um encontro na capital Nairóbi, na tentativa de apaziguar o país. A onda de violência é a mais grave registrada no país nos últimos 25 anos e começou depois do resultado da eleição, no domingo – a oposição e até organismos internacionais colocaram em dúvida a lisura do pleito.

Um comunicado lido na manhã desta quarta pelo ministro Kivutha Kibwana acusou o partido do rival Raila Odinga de genocida. “Está ficando claro que esses atos de genocídio e limpeza étnica no Quênia foram planejados, financiados e ensaiados pelos líderes do Movimento Democrático Laranja, de Raila Odinga, antes das eleições”, afirmou. A oposição lança as mesma acusações ao partido do presidente eleito. Eles alegam que mais de 1 milhão de votos foram fraudados.

Êxodo e violência – Autoridades do vizinho Uganda informaram que centenas de membros da etnia Quicuio – a maior do Quênia e a mesma do presidente reeleito – já cruzaram a fronteira desde domingo fugindo dos assassinatos. Na cidade de Eldoret ocorreu o massacre em uma igreja nesta terça, em que pelo menos 50 pessoas, a maioria crianças, morreram queimadas dentro do prédio.

Repercussão – Comunidades internacionais já pronunciaram seus pedidos de paz e também a dúvida em relação á idoneidade das eleições. O ministro britânico de Relações Exteriores, David Miliband e a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, afirmaram em nota conjunta que “há relatórios independentes sobre sérias irregularidades na contagem dos votos”. Eles pediram um “intenso processo legal e político” para dar fim à crise.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês