Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Morrem 2 palestinos em mais um bombardeio israelense em Gaza

(Corrige idade das vítimas e acrescenta versão do Exército israelense).

Gaza, 12 mar (EFE).- Dois civis palestinos da mesma família morreram nesta segunda-feira nos bombardeios aéreos israelenses realizados em Jabalya, um campo de refugiados no norte da Faixa de Gaza.

As vítimas são Mohamed al-Hesumi, de 65 anos, e sua filha Fayza, de 30, que morreram quando um míssil da aviação militar israelense atingiu sua casa nas proximidades da escola de Tal al-Zatra, afirmou o porta-voz dos serviços de emergência em Gaza, Adham Abu Salmiya, que previamente havia informado que um dos mortos seria uma menina de 13 anos.

Estas duas novas vítimas elevam a cinco o número de mortos nesta segunda-feira e a 23 os palestinos mortos na faixa em consequência dos ataques aéreos israelenses desde a sexta-feira passada.

Fontes do hospital Kamal Adwan, em Jabalya, afirmaram à agência oficial palestina ‘Wafa’ que outros três palestinos ficaram feridos no último bombardeio, registrado no início da tarde.

Uma porta-voz do Exército israelense afirmou à Agência Efe que ‘momentos depois do disparo de foguetes contra Gedera e Ashdod foi atacado o norte da Faixa de Gaza, de onde foram lançados os foguetes’.

Nesta madrugada, dois milicianos e um adolescente morreram em outros ataques aéreos, segundo Abu Salmiya.

As cidades israelenses em um raio de 40 quilômetros ao redor da faixa (no litoral ocidental do centro do país) se encontram em estado de emergência e cerca de 200 mil crianças e estudantes não irão a seus colégios e centros de estudo.

Desde sexta-feira, 23 palestinos morreram (três deles menores) e mais de 70 ficaram feridos na maior onda de violência na região nos últimos nove meses. Em Israel ficaram feridos quatro trabalhadores estrangeiros.

A escalada do conflito começou na sexta-feira com o assassinato, por parte de Israel, do secretário-geral dos Comitês de Resistência Populares, Zuheir al Qaisi, que foi seguido por uma chuva de mais de 120 projéteis palestinos e cerca de 40 bombardeios israelenses.

Trata-se da maior onda de violência na faixa e em seus arredores desde agosto, e a segunda maior após o fim da operação ‘Chumbo Fundido’, em dezembro de 2008 e janeiro de 2009, na qual morreram mais de 1.400 palestinos, em sua maioria civis. EFE