Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Morre o criminoso nazista de guerra Laszlo Csatary

Húngaro que deportou judeus a campos de concentração morreu aos 98 anos

Por Da Redação 12 ago 2013, 09h55

Morreu aos 98 anos o húngaro Laszlo Csatary, acusado da morte de mais de 15 000 judeus quando chefe da polícia em Kassa, a atual cidade eslovaca de Kosice, durante a II Guerra Mundial. Em 1948, Csatary foi condenado à morte por uma corte checa, mas se refugiou no Canadá. Desde 1995 vivia na Hungria. Ele foi preso em julho do ano passado, em Budapeste, depois que o jornal The Sun divulgou fotos de Csatary em sua casa. O nazista aguardava novo julgamento desde então.

Embora a notícia da morte só tenha sido confirmada nesta segunda-feira por seu advogado, Csatary morreu no dia 10, em um hospital de Budapeste, vítima de uma pneumonia. O criminoso nazista de guerra estava em uma casa vigiada em Budapeste, à espera de julgamento por crimes contra a humanidade. Csatary era acusado de ter participado, durante a II Guerra Mundial, da deportação para campos de extermínio de 15 000 judeus detidos no gueto de Kosice.

Saiba mais:

Saiba mais: Criminoso nazista era ‘sádico e cruel’, dizem testemunhas

Durante anos, Csatary foi o criminoso nazista de guerra mais procurado no mundo pelo Centro Simon Wiesenthal. Após sua prisão, porém, vários obstáculos jurídicos ainda impediam o julgamento dele na Eslováquia. Condenado à morte à revelia em 1948 em Kosice, ele se refugiou no Canadá, onde viveu com uma identidade falsa e trabalhou no mercado da arte. Quando as autoridades canadenses descobriram sua verdadeira identidade, em 1995, Csatary já havia fugido para Hungria, onde viveu tranquilamente até sua detenção.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade