Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Monte Fuji, símbolo do Japão, é reconhecido como patrimônio mundial

Mundialmente famoso por seu topo coroado de neve, o local foi classificado como um patrimônio cultural, ao invés de natural

Por Da Redação 22 jun 2013, 13h42

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) reconheceu neste sábado o Monte Fuji, símbolo do Japão, como Patrimônio Mundial, ressaltando sua importância para a cultura japonesa. O reconhecimento foi confirmado durante o 37º encontro do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco, realizado em Phnom Penh, no Camboja.

Mundialmente famoso por seu topo coroado de neve, o Monte Fuji foi classificado como um patrimônio cultural, ao invés de natural. “O Monte Fuji, cone vulcânico solitário, muitas vezes coroado de neve, que se eleva acima das aldeias, mar e lagos arborizados, inspira artistas e poetas há séculos e é um local de peregrinação”, diz a Unesco no relatório preparatório para a reunião.

A região inscrita pela Unesco inclui o cume da montanha, sete santuários espalhados desde suas encostas até a base, abrigos que recebem peregrinos e um grupo de “fenômenos naturais reverenciados” (fontes, cascatas, pinheiros e árvores moldadas na lava). “O respeito e o temor inspirados pela forma majestosa do Monte Fuji e sua atividade vulcânica intermitente deram origem a práticas religiosas associadas ao xintoísmo e ao budismo”, afirma o documento.

As paisagens do local foram imortalizadas em 36 obras do pintor Hiroshige Hokusai no século XIX, que inspiraram muitos artistas europeus, como Claude Debussy, Van Gogh, Degas, Manet, Monet, Gauguin e Seurat. “A forma cônica quase perfeita do Monte Fuji inspirou artistas do início do século XIX, que produziram imagens que transcendem culturas e que permitiram a divulgação da montanha em todo o mundo e tiveram uma profunda influência sobre o desenvolvimento da arte ocidental”, afirma o relatório.

Geografia e cultura – O vulcão, localizado a cerca de 100 km ao sudoeste de Tóquio, eleva-se a 3.776 metros e sua encosta chega até o mar na baía de Suruga. O monte recebe entre 250 mil e 300 mil visitantes durante os dois meses de verão em que o montanhismo é autorizado e a recomendação de reconhecê-lo como patrimônio está associada ao desejo das autoridades japonesas de aumentar a vigilância para preservar o local.

O Monte Fuji é o 17º local do Japão a ser inscrito pela Unesco. Além dos monumentos históricos da Antiga Quioto, o Memorial da Paz em Hiroshima, santuários e templos da cidade de Nikko, os monumentos da antiga capital Nara e o famoso santuário Itsukushima já foram reconhecidos.

(Com Agência France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade